quarta-feira, 17 de agosto de 2022

FUNDESB 38 ANOS DE SERVIÇOS

 Sessão especial marca 38 anos de ação social na Fundesb

Expressaounica: Tudo começou com a insistência de Iacilton Queiroz, um herói,
que não levava desaforo para casa, e era chamado de "chato",  por algumas entidades, na busca de recursos para os deficientes físicos.  

O amplo trabalho social desenvolvido pela FUNDESB (Fundação dos Deficientes do Sul da Bahia) foi destacado durante sessão especial segunda-feira (15), na Câmara de Itabuna. Fundada pelo saudoso Iacilton Queiroz, a entidade completa 38 anos com uma crescente de serviços para pessoas com deficiência, idosos ou em vulnerabilidade.

O presidente Napoleão Santana, já no terceiro mandato, destaca conquistas como atendimento psicológico, jurídico e social. É assim com a oferta de fraldas, cestas básicas, cadeiras de banho, concessão do passe livre intermunicipal, interestadual, ou mesmo com a roda de conversa na Faculdade Santo Agostinho, chamada Saúde Mental na Pandemia.

Ele calcula que beira 570 o número de associados e há várias necessidades, como uma sede com espaço maior, banheiro acessível, combustível para visita a pessoas acamadas que não possam ir à sede da entidade, além de material de expediente.

O relato foi acompanhado pelos vereadores. Israel Cardoso (Agir), autor da sessão, enalteceu a importância de o Legislativo dar protagonismo às instituições que prestam grande serviço em Itabuna e às vezes ficam no anonimato. Ao mesmo tempo, identificar as demandas e propor soluções. “É preciso reconhecer e parabenizar pelos 38 anos na defesa das políticas públicas para pessoas com deficiência”.

Wilma de Oliveira (PCdoB), também assistente social, mencionou a relevância de “instituições se irmanarem no propósito de assegurar direitos para nosso povo”. Pastor Francisco (Republicanos) citou carências ainda não atendidas na área social, a exemplo da acessibilidade. Entre os setores mais problemáticos, o transporte.

 

Equipe e assistidos

Tendo como vice-presidente Ednaldo Miranda, a Fundesb soma uma equipe de sete pessoas. Além da presidência, tem assistente social; assistentes administrativas, secretário e motorista. 

A assistente social Cássia Fernandes conta ter começado na Fundação como estagiária, há oito anos, e esbanja satisfação pela importância dos atendimentos ali prestados. “O que faz a diferença é o acolhimento não apenas às pessoas com deficiência, mas todo o público que chega lá”, testemunha.

Ascom/Câmara

Uma das assistidas, Marizete Vieira, é paciente oncológica há sete anos. Ela comemora a recente conquista do vale-transporte e uma carteira que dá desconto em consultas. “A Fundesb faz um trabalho não só para cadeirantes. Quem chega lá tem ajuda. Todas as vezes que eu precisei de psicólogo, ele tava; hoje não preciso mais. A gente aprende a ser feliz”, garante.

Aplaudido de pé, o escritor cadeirante Junoca defendeu que mais pessoas com deficiência saiam às ruas: “Vou com minha cadeira onde eu quiser. Se tem buraco, cai e levanta; o importante é não ficar em casa”, orienta.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja responsável

ITABUNA EM FOCO

  Secretaria Municipal da Educação promove encontro com professores Diretores, vice-diretores e professores das escolas da Rede Municipal de...