Lixo

Itabunense seja educado não jogue lixo na rua e nem no Rio Cachoeira. A Natureza agradece!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Projeto da FTC Itabuna recebe Prêmio Cidadania sem Fronteiras

 
         Pelo segundo ano consecutivo, a Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) de Itabuna foi selecionada no Prêmio Cidadania Sem Fronteiras, promovido pelo Instituto da Cidadania Brasil em parceria com a Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Desta vez, a FTC é finalista na categoria Projetos de Destaque Social, sendo selecionada por conta do Projeto Faculdade Sem Muros e Direito das Minorias – Família Legal, que vem sendo implementado pela Faculdade desde 2007, com a legalização da união estável para casais de baixa renda, na categoria Projetos de Destaque Social. Esta é a quarta edição do Prêmio Cidadania sem Fronteiras.

A solenidade de premiação acontece na próxima segunda-feira, 31, na Pinacoteca do Estado de São Paulo, a partir das 19 horas. Para receber a premiação irão participar do evento o diretor da FTC Itabuna, professor Cristiano Lôbo, e os professores Inocêncio de Carvalho Santana e Valéria Marques Ettinger, do colegiado de Direito e coordenadores do Projeto Faculdade Sem Muros. 

O objetivo da premiação é reconhecer e criar referência quanto às melhores ações ou práticas sociais desenvolvidas pelas Instituições de Ensino Superior, em atividades de extensão, melhorando a qualidade de vida das comunidades e contribuindo para a geração de emprego e renda.

Faculdade Sem Muros

Fruto dos debates oriundos dos diversos espaços na academia como o Núcleo de Pesquisa Direito, Estado e Sociedade, Projetos de Pesquisa Interdisciplinar em Direito das Famílias, além de situação demandadas pelo Nais – Núcleo de Atendimento Integral à Saúde, especialmente na área de Psicologia, o projeto Faculdade Sem Muros e Direitos das Minorias – Família Legal é considerado como um extrato do compromisso com as questões sociais assumido pelo FTC.

Inicialmente, o projeto era restringido à identificação de casais e a viabilização do casamento. Posteriormente, foi ampliado para um projeto mais abrangente a temas correlatos com a Família e Educação, como responsabilidade civil dos pais, aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente, Homofobia, Bulling e outros temas, no sentido de fomentar as garantias legais e constitucionais, em torno das relações familiares, propiciando uma melhoria das condições psicossociais do homem e da mulher no seu contexto familiar. Até março deste ano, 119 casais já tiveram união estável legalizadas, através do projeto.

Por: Erivaldo Bomfim
Ascom – FTC Itabuna

Nenhum comentário: