Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio natural. Não jogue lixo em seu leito.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

A INTERPRETAÇÃO ESPÍRITA DA BÍBLIA

 
A INTERPRETAÇÃO ESPÍRITA DA

BÍBLIA É FEITA DE MODO RACIONAL

Por - José Reis Chaves Há dois modos de interpretar a Bíblia: o literal e o metafórico. O literal é o mais usado pela Igreja, já o metafórico é mais comum entre as igrejas protestantes e evangélicas, o que tem provocado frequentemente interpretações muito polêmicas sobre os textos bíblicos. Daí a grande divisão das igrejas evangélicas, que existem hoje aos milhares.


 De fato, a interpretação metafórica, às vezes, dá margem a entendimentos tão absurdos feitos pelos nossos irmãos evangélicos, que acabam tornando a Bíblia um livro descaracterizado com relação à sua mensagem de grandes verdades a respeito dos caminhos que levam à nossa salvação ou libertação. E com o surgimento da doutrina espírita, então, é que essas interpretações bíblicas metafóricas das igrejas evangélicas tomaram um rumo no qual, como se diz, acredite nele quem quiser! Realmente, interpretações descabidas metafóricas estão sendo feitas para tirar da Bíblia todas as suas passagens referentes à reencarnação e à mediunidade e, pois, ao contato com os espíritos.
  Vejamos alguns exemplos de interpretações absurdas e que, inclusive, têm passado para os próprios textos de algumas bíblias evangélicas, com o que estão fazendo mais falsificações da Bíblia. Saul, por intermédio da médium de Endor, comunicou-se com o espírito do profeta Samuel já desencarnado. Os teólogos evangélicos, negando o que o texto bíblico diz claramente, têm a ousadia de falar que se trata de uma alegoria, e que não foi Samuel, mas o “diabo” que se manifestou a Saul enganando-o.    

  Caros leitores, deixamos que vocês mesmos concluam se é a Bíblia que diz a verdade ou se são os evangélicos que insistem em afirmar contra ela que é o “diabo” que falou com Samuel! Textualmente, afirma a passagem bíblica: “Samuel disse a Saul: Por que me inquietaste fazendo-me subir?” Essa verdade de que foi mesmo Samuel, e não o “diabo” que se comunicou com Saul está lá na Bíblia (1 Samuel 28: 15). E, então, com quem está a verdade, com os evangélicos ou com a Bíblia? Também, em outra parte dela, lemos: “Samuel, até depois de morto, profetizou” (Eclesiástico 46: 20). Ademais, tudo que o espírito de Samuel disse a Saul, no episódio acima citado, realizou-se.

 Outra passagem bíblica que é uma pedra no sapato dos evangélicos é a da Transfiguração de Jesus no monte Tabor. E não é bem essa Transfiguração que é tão importante nesse fato, mas o contato envolvendo Jesus, Pedro, Tiago e João, de um lado, e do outro, os espíritos de Moisés e Elias, que viveram encarnados aqui na terra, havia muitos séculos.

 E eis mais um exemplo que é da Primeira Carta de João (João 4:1) falsamente interpretado de modo escandaloso pelos nossos irmãos evangélicos. João nos aconselha para examinarmos os espíritos (no plural), para sabermos se eles são bons (de Deus), ou maus (do mal), mas os evangélicos afirmam que João nos adverte para sabermos se o espírito é do próprio Deus ou do “diabo”. Perdoem-me a expressão “Vão ver tanto “diabo” assim na China!”.

 Com essas passagens bíblicas e outras, está provado que a Bíblia demonstra que existe a comunicação entre nós e os espíritos desencarnados, apesar de Moisés (não Deus), em Deuteronômio capítulo 18, a proibir. Aliás, se ele proíbe essa comunicação, conclui-se racionalmente que é porque ela existe mesmo! 


PS: Palestras deste colunista e do vereador de BH Flávio dos Santos no “Museu Chico Xavier” da UFMG, em Pedro Leopoldo, em 26-2-2017. Ônibus grátis para lá: (31) 3463-4281.

Nenhum comentário: