Lixo

Itabunense seja educado não jogue lixo na rua e nem no Rio Cachoeira. A Natureza agradece!

domingo, 24 de outubro de 2010

A hora final: a razão versus o fanatismo

Por Adauto Medeiros
Lula não tem o menor respeito pelo próximo, nem ele, nem o seu partido e sua candidata. Não é errado comparar o PT aos militantes nazistas. As práticas são as mesmas. O incrível é que ainda apareceu “jornalistas” querendo atribuir o prêmio Nobel da Paz a Lula. Imagine um sujeito como Nelson Mandela que passou 27 anos preso pelos brancos e que ao ser libertado disse “pretos e brancos devem conviver em paz”. Lula jamais diria isso. Lula não tem a hombridade, o caráter, a vocação real de estadista, que tem Nelson Mandela.
O Lula “paz e amor” nunca passou de uma peça de marketing cultuado pelos seus defensores e partidários.  O fato de um presidente da República sair de sua condição, vá lá, de “magistrado” para afrontar um candidato legitimo (ou será que ele só percebe legitimidade na sua candidata?) taxando-o de “mentiroso e farsante” depois de ser agredido, fisicamente, e que tudo fique por isso mesmo, é simplesmente lamentável. Perdeu a total compostura. Que os seus partidários não vejam “nada demais” na sua reação, não é de admirar, mas que a população aceite isso é que é o triste. E o pior, sua candidata, repetindo o mesmo fraseado e bordão de suas acusações. Deprimente e lamentável.
Dilma fez gracinha com o episódio. Alguns jornalistas também fizeram. Agora imagine se fosse Serra ou Fernando Henrique que tivessem dito o que disse Lula? O mundo tido vindo abaixo. A mentalidade petista é fanática. A quantidade de escândalos envolvendo Dilma, não merece ((basta acompanhar) uma nota de autocrítica dos jornalistas “dilmistas”. No mínimo eles ficam em silencio, calados, ou então reverberam para “protegê-las”. Por esses mesmos, certamente, o Mensalão é peça de ficção. O Mensalão não passou de uma mentira orquestrada e inventada pela oposição. O filho de Lula enricou com a privatização das telefonias. Mas vamos criticar as privatizações. Critica da boca para fora para ganhar votos. E ainda querem dizer que o PT não mente, nem “inventa”. Claro, quem faz isso é Serra. Claro. O PT, Lu la e Dilma são tão puros quanto José Dirceu.
É lamentável que Marina Silva que foi escorraçada do governo petista, em especial por Dilma (ela conheceu de perto o “estilo” Dilma) tenha preferido o silêncio no segundo turno. Dilma é truculenta. Dilma é agressiva. Dilma mata e rouba. Mas agora se diz democrática.  A Dilma que vinha adotando o mesmo estilo artificial de Lula “o paz e amor” quando percebeu que com ela não colocava, jogou fora o “paz e amor” e adotou o “estilo espontâneo”. É lamentável.
Entramos na última semana da campanha. Agora é hora de escolher, quem está do lado da democracia e da razão, e é contra os “dossiês”, é contra a truculência, é contra as agressões físicas, é contra a enxurrada de denuncias de corrupção, do outro lado que defende aberta ou de forma escondida truculência, o fanatismo, a descompostura e a desonestidade. Agora é com você.
Adauto Medeiros, engenheiro civil

Nenhum comentário: