Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Prefeito discute com técnicos da Fundação Getúlio Vargas questão da água e do esgoto em Itabuna



O prefeito Fernando Gomes recebeu, na tarde da última terça-feira (5), em seu gabinete, uma equipe de técnicos da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Eles vieram apresentar um diagnóstico de operação do sistema de água e esgoto de Itabuna e mostraram por meio de vídeo, gráficos da situação da Emasa, a exemplo do que a empresa tem e as ações que poderiam contribuir para a despoluição do Rio Cachoeira, um problema antigo e um dos motivos de preocupação do prefeito Fernando Gomes.

“Acredito que meu desejo de ver nosso rio limpo, despoluído e com 100% do  esgoto tratado é o mesmo de toda a população de Itabuna. Mas  o investimento é alto e o município sozinho não tem como arcar com um compromisso  tão grande como esse, por isso a busca de alternativas e estudos para ver se  conseguimos reverter tal situação”, salientou o prefeito.

O presidente da Emasa, Jader Guedes que participou do encontro, juntamente com o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedur), João Zulato, confirmou a opinião do prefeito, ao destacar que  o Rio Cachoeira vive uma situação crônica, assim como o abastecimento de água no município. “Um problema sério e preocupante que exige investimento alto e à curto prazo para sua reestruturação”, disse o dirigente da Emasa.


Ele destacou ainda que a população também precisa de uma resposta imediata, “porque é a que mais sofre na pele o problema da falta de água, ou esperando até mais de 15 dias para o liquido chegar na torneira”. Jader lembrou, inclusive, a estiagem prolongada ocorrida em 2016, considerada uma das mais criticas em Itabuna, quando a comunidade teve que conviver com água salgada.

A coordenadora de Projetos da Fundação Getúlio Vargas, Rosane Coelho da Costa, acompanhada de outros três técnicos da FGV, apresentou um diagnóstico de operação do sistema de água e esgoto no município. A proposta é criar um plano de negócio para operacionalização com vistas a universalizar o esgoto e o mais importante na opinião dela, a preservação do manancial.

“Se não houver uma preocupação com a preservação das fontes de água para o abastecimento e consumo, como demonstra o prefeito Fernando Gomes, as consequências imediatas são danosas, inclusive com o comprometimento da saúde e da qualidade de vida de toda uma comunidade”.

Texto: Rosi Barreto
Fotos: Waldir Gomes  

Nenhum comentário: