Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Consórcio da Acácia Mangium com a pecuária promete alta rentabilidade em Itabuna e região

 
Pecuaristas da região Sul da Bahia participaram na manhã de hoje (05), nas Faculdades Santo Agostinho, do 1º Encontro Regional sobre Acácia Mangium – uma alternativa sustentável socioeconômica e ambiental para regiões de pecuária no Sul da Bahia. O evento foi realizado pela Prefeitura Municipal de Itabuna, através do Departamento de Agricultura, que é vinculado à Secretaria Municipal de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, com o apoio da Amurc, Prefeitura de Jussari, Ceplac e Instituto Chocolate.

Participaram do encontro o prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, a Secretária Municipal de Governo, Maria Alice Pereira, o Secretário Municipal de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, Jorge Vasconcelos, o prefeito de Jussari, Antônio Valete, que esteve representando a Amurc, entre outras autoridades. Para o prefeito Fernando Gomes, a Acácia Mangium surge para revolucionar a região, principalmente o mercado da madeira e da pecuária.

“O produtor precisa diversificar, estar aberto para novas oportunidade de negócios, e a Acácia apresenta justamente uma série de atrativos que podem aumentar a renda do produtor que optar pelo consórcio com a pecuária”, comentou o prefeito de Itabuna. Para falar sobre o assunto, esteve presente no evento o pecuarista matro-grossense Carlos Roberto Libera, responsável por introduzir no Brasil a Acácia Mangium. Hoje ele tem uma área na Fazenda Paraná, de quase 4.000 mil hectares com árvores desta espécie que é originária da Austrália.


“Há 24 anos iniciei o plantio. A acácia é da família de leguminosas e apresenta uma série de vantagens, tais como: produção de madeira, renda agregada, recuperação de pastagens, alimentação para gado, produção de mel, sequestro de carbono, além da preservação e recuperação ambiental”, informou Carlos Roberto Libera.

Ressaltando a integração da Acácia com floresta x pecuária x apicultura x agricultura, o engenheiro agrônomo Waldo Brito, extensionista da Ceplac na região do Baixo Sul, também esteve presente e falou da sua experiência na região. “Valença e Camamu são referência no plantio de Acácia em toda Bahia, e a sua utilização ocorre em grande maioria para comercialização de madeira e fabricação de móveis”, comentou.

O Secretário de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, Jorge Vasconcelos, frisou a importância desta novidade no Sul da Bahia. Do mesmo modo, o diretor de Agricultura, Erlon Botelho, ressaltou ser importante observar que “no Mato Grosso a Acácia tem como ponto forte o consórcio com a pecuária e o cultivo do mel. Já no Baixo Sul da Bahia, a construção de móveis. São potenciais que podem ser amplamente explorados em nossa que região que apresenta condições mais que favoráveis”, finalizou.


Texto: Kaline Ribeiro
Foto: Waldyr Gomes

Nenhum comentário: