Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Shows, exposição, cultura e entrega de veículos na festa dos 287 anos de Itacaré

 
Uma grande festa, com direto a exposição de produtos da agricultura familiar, alvorada, missa solene, shows com artistas regionais, apresentações folclóricas e culturais e ainda a distribuição de mudas e a entrega de diversos veículos para melhor atender aos cidadãos marcaram no último sábado, dia 26, as comemorações dos 287 anos de emancipação política de Itacaré. O objetivo dessa festa, segundo informou o prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, foi unir moradores de todo o município, na sede e da zona rural, para comemorar todos juntos esse aniversário, mostrando a produção do município e as manifestações culturais que fazem de Itacaré um verdadeiro destino completo.
A festa foi iniciada às 5 horas da manhã com a tradicional alvorada, contando com a participação de dezenas de Itacareenses e turistas. Como manda a tradição, às 5 horas da manhã houve a queima de fogos. Logo depois os moradores seguiram pelas ruas da cidade, puxados por uma charanga entoando músicas tradicionais. Por onde passava o cortejo era aplaudido e saudado pelos moradores. O encerramento foi na Rua 26 de Janeiro, no bairro do Marimbondo, onde foi servido o tradicional mingau.
Às 9 horas foi celebrada a missa festiva na Igreja Matriz de São Miguel, com o padre Ednaldo Cardoso e às horas foi a vez da lavagem da Rua 26 de Janeiro, com o cortejo das baianas e ao meio dia será servido o caruru para a comunidade. O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, e o deputado estadual Rosemberg Pinto também fizeram a entrega de mudas para as associações de produtores da agricultura familiar do município. O cadastramento das associações continuará para que todas recebam cada vez mais mudas, aumentando ainda mais a produção.
VEÍCULOS – Ainda na parte da manhã o prefeito Antônio de Anízio fez a entrega de um trator para a agricultura familiar, uma van para transportar pacientes para a realização de exames em outros municípios e também uma lancha da saúde que estará levando médicos e enfermeiros para realizar o atendimento para a população ribeirinha. Os equipamentos foram adquiridos através de emendas parlamentares do deputado estadual Rosemberg Pinto e do deputado federal Ronaldo Carletto.

Na parte da tarde as comemorações alusivas ao aniversário de Itacaré continuaram na Rua 26 de Janeiro, com a apresentação de grupos de capoeira, maracatu, a Volta da Jiboia e Samba de Roda, além de grupos de dança. E às 17 horas a alegria tomou conta das ruas de Itacaré com o Rixô Elétrico, uma novidade da Bahia, um carro aberto com músicas que marcaram os grandes carnavais. Com muita animação e disposição, o público seguiu o Rixô elétrico até a Rua 26 de Janeiro, onde a festa continuou com apresentações culturais, paredões e shows com Fabrício Pancadinha, Emílio Tropa, Samba da Porra e JP no Capricho.
O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, destacou que o município vem atravessando um importante momento de transformações, com obras de requalificação e de fortalecimento do turismo e da agricultura familiar, daí a importância de se comemorar a data em grande estilo, valorizando a cultura local, os valores da terra e o potencial turístico e agrícola da cidade. “E Itacaré tem muito a oferecer, tanto nas belezas naturais, manifestações culturais e também na qualidade dos serviços e produtos oferecidos. Tudo isso se dá pela força, pela garra e pela determinação do nosso povo”, complementou o prefeito.
HISTÓRIA - A cidade de Itacaré originou-se de uma aldeia habitada por índios Tupiniquins até a chegada dos europeus em 1530, quando iniciou sua colonização. Por volta do ano de 1718, o Jesuíta Luis da Grã construiu a Igreja de São Miguel às margens do Rio de Contas, quando então o povoado passou a se chamar São Miguel da Barra do Rio de Contas. Foi elevada à categoria de Município em 26 de janeiro de 1732, por ordem da Condessa do Resende – Dona Maria Athaíde e Castro, donatária da capitania de Ilhéus, sendo nomeada Itacaré somente em 1931. O primeiro prefeito municipal (intendente), foi Joaquim Vieira dos Santos (01/01/1890 a 31/12/1893) e o atual Antônio de Anízio, que está em seu segundo mandato.
Seu desenvolvimento, marcado entre 1890 e 1940, baseou-se no cultivo do cacau, período que ficou conhecido como a “Época do Ouro Negro”, no qual Itacaré se destacou como o principal porto de escoamento da produção cacaueira da Bahia e teve seus casarões coloniais construídos pelos ricos “coronéis”. O declínio dessa época teve início com o assoreamento da barra do Rio de Contas, quando seu porto foi transferido para a cidade de Ilhéus. Foi agravado pela forte crise econômica consequente da “Quebra de 1929” e consolidou-se, anos mais tarde, quando uma praga conhecida como “Vassoura de Bruxa” dizimou as lavouras de Cacau da região.
Com o declínio da economia cacaueira, Itacaré ficou esquecida guardando seu “tesouro”: belas praias e Mata Atlântica preservada, graças ao cultivo do cacau. Anos mais tarde, foi redescoberta por surfistas aventureiros em busca das boas ondas. Em 1998, a conclusão da Estrada-Parque BA-001 Ilhéus-Itacaré facilitou muito o acesso e possibilitou que Itacaré se tornasse um destino turístico muito procurado. Hoje, Itacaré encanta pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo e, é considerado um dos destinos turísticos mais belos e visitados do País.

Uma grande festa, com direto a exposição de produtos da agricultura familiar, alvorada, missa solene, shows com artistas regionais, apresentações folclóricas e culturais e ainda a distribuição de mudas e a entrega de diversos veículos para melhor atender aos cidadãos marcaram no último sábado, dia 26, as comemorações dos 287 anos de emancipação política de Itacaré. O objetivo dessa festa, segundo informou o prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, foi unir moradores de todo o município, na sede e da zona rural, para comemorar todos juntos esse aniversário, mostrando a produção do município e as manifestações culturais que fazem de Itacaré um verdadeiro destino completo.A festa foi iniciada às 5 horas da manhã com a tradicional alvorada, contando com a participação de dezenas de Itacareenses e turistas. Como manda a tradição, às 5 horas da manhã houve a queima de fogos. Logo depois os moradores seguiram pelas ruas da cidade, puxados por uma charanga entoando músicas tradicionais. Por onde passava o cortejo era aplaudido e saudado pelos moradores. O encerramento foi na Rua 26 de Janeiro, no bairro do Marimbondo, onde foi servido o tradicional mingau.Às 9 horas foi celebrada a missa festiva na Igreja Matriz de São Miguel, com o padre Ednaldo Cardoso e às horas foi a vez da lavagem da Rua 26 de Janeiro, com o cortejo das baianas e ao meio dia será servido o caruru para a comunidade. O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, e o deputado estadual Rosemberg Pinto também fizeram a entrega de mudas para as associações de produtores da agricultura familiar do município. O cadastramento das associações continuará para que todas recebam cada vez mais mudas, aumentando ainda mais a produção.VEÍCULOS – Ainda na parte da manhã o prefeito Antônio de Anízio fez a entrega de um trator para a agricultura familiar, uma van para transportar pacientes para a realização de exames em outros municípios e também uma lancha da saúde que estará levando médicos e enfermeiros para realizar o atendimento para a população ribeirinha. Os equipamentos foram adquiridos através de emendas parlamentares do deputado estadual Rosemberg Pinto e do deputado federal Ronaldo Carletto.Na parte da tarde as comemorações alusivas ao aniversário de Itacaré continuaram na Rua 26 de Janeiro, com a apresentação de grupos de capoeira, maracatu, a Volta da Jiboia e Samba de Roda, além de grupos de dança. E às 17 horas a alegria tomou conta das ruas de Itacaré com o Rixô Elétrico, uma novidade da Bahia, um carro aberto com músicas que marcaram os grandes carnavais. Com muita animação e disposição, o público seguiu o Rixô elétrico até a Rua 26 de Janeiro, onde a festa continuou com apresentações culturais, paredões e shows com Fabrício Pancadinha, Emílio Tropa, Samba da Porra e JP no Capricho.O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, destacou que o município vem atravessando um importante momento de transformações, com obras de requalificação e de fortalecimento do turismo e da agricultura familiar, daí a importância de se comemorar a data em grande estilo, valorizando a cultura local, os valores da terra e o potencial turístico e agrícola da cidade. “E Itacaré tem muito a oferecer, tanto nas belezas naturais, manifestações culturais e também na qualidade dos serviços e produtos oferecidos. Tudo isso se dá pela força, pela garra e pela determinação do nosso povo”, complementou o prefeito.HISTÓRIA - A cidade de Itacaré originou-se de uma aldeia habitada por índios Tupiniquins até a chegada dos europeus em 1530, quando iniciou sua colonização. Por volta do ano de 1718, o Jesuíta Luis da Grã construiu a Igreja de São Miguel às margens do Rio de Contas, quando então o povoado passou a se chamar São Miguel da Barra do Rio de Contas. Foi elevada à categoria de Município em 26 de janeiro de 1732, por ordem da Condessa do Resende – Dona Maria Athaíde e Castro, donatária da capitania de Ilhéus, sendo nomeada Itacaré somente em 1931. O primeiro prefeito municipal (intendente), foi Joaquim Vieira dos Santos (01/01/1890 a 31/12/1893) e o atual Antônio de Anízio, que está em seu segundo mandato.Seu desenvolvimento, marcado entre 1890 e 1940, baseou-se no cultivo do cacau, período que ficou conhecido como a “Época do Ouro Negro”, no qual Itacaré se destacou como o principal porto de escoamento da produção cacaueira da Bahia e teve seus casarões coloniais construídos pelos ricos “coronéis”. O declínio dessa época teve início com o assoreamento da barra do Rio de Contas, quando seu porto foi transferido para a cidade de Ilhéus. Foi agravado pela forte crise econômica consequente da “Quebra de 1929” e consolidou-se, anos mais tarde, quando uma praga conhecida como “Vassoura de Bruxa” dizimou as lavouras de Cacau da região.Com o declínio da economia cacaueira, Itacaré ficou esquecida guardando seu “tesouro”: belas praias e Mata Atlântica preservada, graças ao cultivo do cacau. Anos mais tarde, foi redescoberta por surfistas aventureiros em busca das boas ondas. Em 1998, a conclusão da Estrada-Parque BA-001 Ilhéus-Itacaré facilitou muito o acesso e possibilitou que Itacaré se tornasse um destino turístico muito procurado. Hoje, Itacaré encanta pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo e, é considerado um dos destinos turísticos mais belos e visitados do País.

Nenhum comentário: