Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio natural. Não jogue lixo em seu leito.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

A FAVOR DO DIÁLOGO, 61 ESCOLAS ESTÃO EM FUNCIONAMENTO EM ITABUNA


Ratificando os números que foram apresentados na última sexta-feira (9) pela Prefeitura de Itabuna, através da Secretaria Municipal da Educação (SME), em que foi apontado que 64% dos professores da Rede Municipal de Ensino estão trabalhando normalmente, nesta terça-feira (13), o gabinete da SME atualizou os dados, e pelo que consta a partir do retorno de mais profissionais às suas atividades entre sexta-feira última e terça-feira (ontem), esse índice já está na casa dos 70%.

Das escolas que fazem parte da Rede Municipal de Ensino, a partir do número de profissionais em atividade, a secretária, professora Nilmecy Santos Gonçalves, aponta que 61 estão em funcionamento, entre escolas do campo e urbanas. Dessas, 25 unidades estão entre as que nunca paralisaram as suas atividades e estão com funcionamento integral desde o início da greve.

21 escolas estão funcionando parcialmente e outras 12 chegaram a aderir ao movimento grevista em algum momento, mas retornaram às atividades depois. A professora Nilmecy destaca que, atualmente, somente 31 escolas estão com suas atividades paralisadas.


Nesta quarta-feira (14), às 14h, acontece audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em Salvador para tentar pôr fim à greve, conduzida pela desembargadora Maria de Lourdes Linhares Lima de Oliveira. Representando a Prefeitura de Itabuna e a Secretaria Municipal da Educação, encontram-se na capital o procurador geral do município, Luiz Guarnieri e o diretor financeiro da SME, Fabio Bittencourt.

A professora Nilmecy Gonçalves também se encontra em Salvador, está acompanhando tudo de maneira bastante próxima e tem delineado orientações importantes, tanto para Guarnieri, quanto para Bittencourt. A secretária participa, durante todo o dia, da segunda etapa presencial do curso para Gestores da Educação Municipal promovido pelo Ministério da Educação. A perspectiva é a de que ela também participe da audiência, o que dependerá de ajustes de horários. Ascom

Nenhum comentário: