Lixo

Itabunense seja educado não jogue lixo na rua e nem no Rio Cachoeira. A Natureza agradece!

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Banco de Sangue da Santa Casa de Itabuna está entre os melhores da Bahia

Durante a primeira semana de junho o Núcleo de Hemoterapia da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna (Banco de Sangue), recebeu os inspetores da Vigilância Sanitária do Estado da Bahia, acompanhados por um profissional do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde/FIOCRUZ, que avaliaram todos os processos do ciclo do sangue. A Legislação utilizada foi a RDC 34/2014, Portaria 158/2016 e Portaria de Consolidação nº 05/2017relativa a coleta, processamento, estocagem, distribuição e aplicação do sangue e derivados. Dentro dos critérios de avaliação estabelecidos, o Banco de Sangue recebeu 96,69% de aprovação, sendo classificado como Unidade de Baixo Risco Potencial.

Para a Diretora Técnica do Banco de Sangue, Regiana Quinto de Souza, a visita dos técnicos é muito importante e a avaliação positiva é o resultado de um trabalho contínuo em busca da excelência nos serviços oferecidos. “Os critérios de avaliação são rigorosíssimos e de extrema importância para a qualificação do serviço oferecido pelo Banco de Sangue. Fomos classificados como unidade de baixo risco que é a mais alta pontuação da tabela de risco potencial utilizada pelos técnicos, ficando acima dos 95 % de conformidade. A certeza de estar realizando um trabalho com segurança e qualidade nos enche de orgulho”, disse Drª Regiana.
Em abril de 2018 a Agência Transfusional do Hospital Manoel Novaes também foi avaliada pela Vigilância Sanitária do Município de Itabuna, obtendo um excelente resultado, atingindo 95,5% de conformidade.

De acordo com o Relatório Anual da Avaliação Sanitária dos Serviços de Hemoterapia, os resultados apresentados descrevem um panorama da situação sanitária dos serviços avaliados e contribuem para o aprimoramento de seu processo de trabalho, com foco na qualidade do ciclo do sangue e na segurança dos serviços prestados a população.(Ascom)

Nenhum comentário: