quinta-feira, 6 de julho de 2017

Prefeitura de Ilhéus organiza cadastramento de produtores em programas de alimentos e de habitação


A equipe técnica da Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca (Seap) da Prefeitura de Ilhéus esteve reunida com cerca de 30 agricultores familiares e comunidade indígena da região do Acuípe do Meio II. O objetivo foi repassar à comunidade informações e esclarecimentos sobre o Programa de Aquisição de Alimento (PAA) e o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR). Um convênio com a Caixa Econômica Federal está para ser publicado no Diário Oficial da União, visando a construção de 200 unidades habitacionais, na localidade rural de Cururutinga, próxima a região do Santo Antônio.


Na manhã de hoje (6), técnicos da Seap, participam de um Dia de Campo, onde farão medições com pontos de georreferenciamento, fotografias, coleta e emissão dos dados em sistema. A empresa vencedora da licitação, a OCA Construção e Incorporação, entrará com a contrapartida, de acordo com exigência do Edital, reformando alguma obra pública já existente, seja uma praça ou escola, a ser futuramente definido. Outro ponto importante exigido é a mão de obra local que será contratada. Fora os engenheiros, os profissionais deverão ser da localidade, o que representa mais geração de renda para a região.    

Valorização da produção – Segundo a chefa de Agricultura, Aclécia Souza, para a realização do cadastro, tanto no PAA quanto no PNHR, os agricultores familiares e indígenas devem procurar a Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca. “O PAA é uma reconquista deste governo. Para isso é necessário à apresentação dos documentos pessoais e das Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP’s), estas, preenchidas corretamente”, informou.
“Os índios produzem muito, a expectativa é a melhor possível”, completa Aclécia. Muitos indígenas ainda jovens deixam as aldeias e se integram à lógica da cidade. “Vários fatores influenciam este tipo de migração, como o crescimento demográfico maior do que as áreas cultiváveis. O PAA estimula as famílias indígenas a continuarem com o trabalho no campo, garante segurança alimentar e melhora o aproveitamento de recursos naturais nas aldeias”, ressaltou.

Atendimento no campo - De acordo com o secretário municipal, Angelito Dias Filho, o atendimento in loco, na zona rural, nas áreas de manejo, melhora a produtividade. O titular da pasta ressaltou a importância do prefeito Mario Alexandre, quando lutou em Brasília para desbloquear o PNHR, travado na antiga gestão.  “É uma maneira de mostrar toda a estrutura disponível, atender os produtores e também verificar quais são suas necessidades diante das possibilidades”, explica Angelito.

Nenhum comentário: