DIGNIDADE

De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto. Rui Barbosa


FEIJOADA DO ALBERGUE BEZERRA DE MENEZES NA AABB, DIA 19 DE NOVEMBRO AO MEIO DIA. VALOR R$25,00 ADQUIRA O SEU BILHETE E CONTRIBUA COM QUEM PRECISA. TELEFONES (73) 3215-1511 E 9-8889-0991. O FORRÓ DO KARUÁ E DJ GUIGUI FARÃO A ANIMAÇÃO! E FAÇA UMA BOA AÇÃO!

terça-feira, 11 de julho de 2017

Prefeito de Itabuna decreta Luto Oficial pela morte do Frei Joaquim Camelli

Ao tomar conhecimento da morte do Frei Joaquim Camelli, aos 87 anos, ocorrida às 12h10min da segunda-feira (10), o prefeito Fernando Gomes, decretou Luto Oficial durante três dias, em todo território do município de Itabuna. Lamentando com profundo pesar o passamento do sacerdote, o chefe do executivo itabunense lembrou que Frei Joaquim foi o mais expressivo religioso da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, congregação franciscana, a atuar no município de Itabuna por mais de 60 anos.

No Decreto nº 12.605, o prefeito ressaltou ainda o incansável engajamento do saudoso sacerdote na luta pela evangelização neste município, desde quando aqui chegou ainda na década de 50, sempre preocupado com a implantação de metodologias visando ampliar a atuação da Igreja Católica, além da contribuição do religioso no campo da educação. Ao justificar o decreto de Luto Oficial, Fernando Gomes destacou o dever do executivo municipal de homenagear todos aqueles que cumpriram integralmente o dever cívico de bem servir à comunidade, para que seu exemplo seja repassado às novas gerações.  


Ainda na noite de segunda-feira, o prefeito Fernando Gomes, ao lado da secretária de Assistência Social, Sandra Neilma, esteve na Igreja Matriz de Santa Rita de Cássia, no bairro São Caetano, acompanhando o início do velório do corpo do Frei Joaquim e manifestando sua solidariedade aos frades franciscanos, bem como à comunidade paroquial a qual o religioso dedicou a sua vida, evangelizando, acolhendo e servindo aos mais necessitados.

“Frei Joaquim deixa um legado de amor imensurável à Itabuna. Basta olharmos para a zona sul da cidade iremos constatar o quanto ele contribuiu para o seu desenvolvimento. Pois, em torno de cada igreja, capela e centro comunitário que ele construiu surgiram bairros dos mais populosos do município. Portanto, toda a comunidade itabunense está entristecida, principalmente os mais carentes a quem ele tanto socorreu e acolheu”, afirmou Fernando.

Italiano de nascimento, Frei Joaquim Camelli chegou ao Brasil na década de 50, com destino à cidade do Rio de Janeiro para um breve período de adaptação. No ano de 1954 foi enviado à Itabuna para dá início à fundação da Comunidade Franciscana Capuchinha no município que, à época, ainda pertencia a Diocese de Ilhéus. Em território itabunense, o sacerdote atuou inicialmente na implantação da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, no bairro de mesmo nome.

Na década de 60, Frei Joaquim, ao lado do seu confrade Frei Apolônio, iniciou a implantação em definitivo do convento dos Frades Menores Capuchinhos e da Paróquia de Santa Rita de Cássia, no bairro São Caetano. A partir da instalação da comunidade paroquial, o religioso fomentou a construção de mais de 15 Igrejas e capelas, dais quais três foram elevadas à condição de paróquia – Nossa Senhora das Vitórias (Jardim Vitória), Nossa Senhora da Piedade (Maria Pinheiro) e Senhor do Bomfim (Jardim Primavera). O corpo do Frei Joaquim Camelli será sepultado às 10 horas desta quinta-feira (13), em jazigo nas dependências da Igreja de Santa Rita de Cássia.

Nenhum comentário: