quinta-feira, 13 de julho de 2017

MUITA EMOÇÃO NO ÚLTIMO ADEUS DE FREI JOAQUIM CAMELLI

Aqui ficou o corpo do Frei Joaquim Camelli
Com a presença de centenas de pessoas e devotos, diversas autoridades, foi sepultado na manhã de hoje, 13, às 11h, o corpo do Frei Joaquim Camelli, que morreu aos 87 anos, na última segunda-feira, após 15 dias internado no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna. O corpo foi enterrado em um mausoléu especial no interior da Igreja Santa Rita de Cassais, Bairro São Caetano, uma das grandes obras realizadas por ele, e que, lhe acolheu por muitos anos, e, agora, eternamente.
Antes do sepultamento, na celebração da última Missa de Corpo Presente, o prefeito Fernando Gomes, demonstrando muita amizade e conhecimento do trabalho do Frei Joaquim, lhe homenageou com a Comenda Firmino Alves, a maior honraria deste município, esclarecendo que a outorga já estava programada e, que, frei Joaquim já tinha conhecimento; “Seria entregue no próximo dia 21, fazendo parte da programação do Dia da Cidade (28), em reconhecimento do seu grande trabalho pelo desenvolvimento do nosso munícipio, principalmente do lado de cá” disse.

Ala do Hospital de Base Frei Camelli
O prefeito Fernando Gomes, não parando só na honraria da Comenda Firmino Alves, em reconhecimento ao grande trabalho  do Frei Joaquim, anunciou também uma nova ala   do Hospital de Base, com 36 leitos, que  levará o nome; “Frei Joaquim Camelli”. Uma homenagem justa e louvável.  
Obras de Camelli
Para a maioria da população de Itabuna o Frei Joaquim, tratava-se de uma liderança religiosa muito querida, fazia questão de ajudar ao próximo sem medir esforços, e tinha como meta, construir templos em Itabuna e na região, construindo cerca de 20 deles. Considerado um dos maiores construtores de igrejas na Bahia. A exemplo da Igreja de Santa Rita de Cassia, outra grande obra foi o Santuário de Nossa Senhora da Piedade, com o auxílio dos Frades Capuchinhos, o Santuário Nossa Senhora da Piedade que teve sua “pedra fundamental” lançada em 1980, e abençoada pelo então bispo de Itabuna, D. Homero Leite Meira. Joaquim Cameli, via no morro, o “Monte Calvário”, um lugar próprio para a expressão religiosa de peregrinos e hoje temos, no Bairro aria Pinheiro um grande santuário.




Nenhum comentário: