DIGNIDADE

De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto. Rui Barbosa


FEIJOADA DO ALBERGUE BEZERRA DE MENEZES NA AABB, DIA 19 DE NOVEMBRO AO MEIO DIA. VALOR R$25,00 ADQUIRA O SEU BILHETE E CONTRIBUA COM QUEM PRECISA. TELEFONES (73) 3215-1511 E 9-8889-0991. O FORRÓ DO KARUÁ E DJ GUIGUI FARÃO A ANIMAÇÃO! E FAÇA UMA BOA AÇÃO!

quarta-feira, 17 de maio de 2017

LULA MENTIU: MPF PROVA QUE LULA ESTEVE 27 VEZES COM DIRETORES CORRUPTOS DA PETROBRAS

LULA MENTIU A MORO (2)
MPF PROVA QUE LULA ESTEVE 27 VEZES COM DIRETORES CORRUPTOS DA PETROBRAS
EM SEU INTERROGATÓRIO, LULA NEGOU REUNIÕES DUQUE, ZELADA ETC
Publicado: 17 de maio de 2017 às 10:45

Do - Diário do Poder - Documentos comprovando mais de 20 reuniões e viagens do ex-presidente da Lula com diretores da Petrobras foram apresentados pelos procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato ao juiz Sérgio Moro. Entre os documentos estão cópias eletrônicas de registros de, pelo menos, 27 encontros e viagens entre Lula e diretores da estatal, como Paulo Roberto Costa, Jorge Zelada e Renato Duque. As reuniões ocorreram entre os anos de 2003 e 2010.

Os documentos foram anexados ao processo em que Lula é réu na Justiça Federal do Paraná. O ex-presidente é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com o MPF, Lula recebeu R$ 3,7 milhões em propina da empreiteira OAS, de forma dissimulada, como a reforma do tríplex-propina do Guarujá,. Em troca, a empresa seria beneficiada em contratos com a Petrobras.
Em defesa do acusado, o advogado Cristiano Zanin Martins, queixa-se de que isso "somente servem para provar que seus membros [do MPF] têm acesso irrestrito a documentos da Petrobras, ao contrário da defesa do ex-presidente”.
Durante seu interrogatório, ao ser questionado sobre a atuação de ex-diretores da estatal, Lula disse que ninguém foi mais à Petrobras do que ele e que isso aconteceu após a descoberta do pré-sal. Depois, afirmou que, nos oito anos em que ficou na presidência, teve apenas dois momentos com a diretoria da estatal: um sobre o pré-sal e outro para definição de projeto estratégico. Ele disse também que o presidente da república não participa do dia a dia da estatal.

Nenhum comentário: