segunda-feira, 3 de abril de 2017

Explosão em metrô na Rússia mata pelo menos 10 e deixa 50 feridos

Da - Agência ANSA

Ao menos duas explosões provocaram pânico no metrô de São Petersburgo, na Rússia, nesta segunda-feira (3) e deixaram 10 mortos e 50 feridos, segundo a agência “Tass”. Os incidentes ocorreram simultaneamente, no início da tarde desta segunda, e segundo a agência de notícias “Interfax”, as explosões foram causadas por explosivos artesanais com cerca de 200 ou 300 gramas de TNT.
Dezenas de feridos recebem socorro de pessoas que passavam no local. (Foto: Reprodução/Agência Sputnik)
Dezenas de feridos recebem socorro de pessoas que passavam no local. (Foto: Reprodução/Agência Sputnik)
De acordo com a imprensa do país, uma das explosões aconteceu no interior de um dos vagões de um trem na linha azul do transporte da cidade na estação de Sennaya Ploshchad. Já a outra foi registrada na estação Tekhnologichesky Institute.
Fotos e vídeos feitos no localmostram as estações estão completamente tomadas pela fumaça, os vagões que sofreram as explosões estão totalmente destruídos e muitas pessoas aparecem feridas deitadas no chão sendo ajudadas por outras.

Policiais, bombeiros e ambulâncias já estão nos espaços para cuidarem da situação, os usuários do metrô estao sendo evacuados e todas as estações foram fechadas temporariamente.
“Preliminarmente, há uma fumaça muito forte. Especialistas em proteção contra a fumaça já foram chamados. A fonte da fumaça está sendo investigada”, disse à “Sputnik” uma profissional do Ministério de Emergências russo.
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, que está na cidade, disse que ainda não é possível descartar que as explosões foram fruto de terrorismo.
Avisado do incidente, o mandatário disse que “os motivos [das explosões] não são claros no momento, não excluímos nenhuma pista: nem a criminal nem a terrorista” e que as investigações “estão em curso”.
São Petersburgo é a segunda cidade mais populosa da Rússia e conta com cerca de cinco milhões de habitantes. Atualmente, a Rússia é um dos países que mais realizam ataques contra grupos terroristas na Síria e no Iraque, como o Estado Islâmico (EI, ex-Isis) e o Frente al-Nusra. No entanto, esses grupos nunca conseguiram realizar uma ação no país de Putin, apesar da ação ser semelhante com aquela realizada pelo EI na Bélgica, em 22 de março de 2016.
Além disso, os russos enfrentam há décadas uma crise com os chechenos e com grupos opositores ao presidente Putin. (ANSA)
Do - jornaldamidia.com.br

Nenhum comentário: