quarta-feira, 19 de abril de 2017

Estado capacita prefeitos para captação de recursos por meio do Plano Plurianual



A Bahia possui 417 municípios, distribuídos pelas mais diversas regiões e onde vivem 15 milhões de pessoas. Com características geográficas, culturais e econômicas diferentes, cada um desses municípios precisa de políticas públicas específicas para atender às demandas dos moradores. Para que as prefeituras possam elaborar projetos que se transformem em políticas publicas eficientes, o governador Rui Costa participou do seminário 'Planejamento, Cenário e Oportunidades para o PPA Municipal 2018-2021' nesta quarta-feira (19), no auditório da União dos Municípios da Bahia (UPB), em Salvador. 

O evento, destinado a prefeitos e gestores municipais, foi promovido pela Secretaria do Planejamento do Estado (Seplan), em parceria com a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e a UPB. Na ocasião, Rui destacou que é preciso haver um alinhamento entre as prioridades do governo federal, estados e municípios. “O PPA [Plano Plurianual] serve para isso. É um planejamento de quatro anos, para que se possa alinhar os projetos dos municípios com as possibilidades dos governos estadual e federal. Por isso é importante a gente capacitar os prefeitos e os gestores e alinhar os esforços, concentrando prioridades”.

Rui acrescentou a necessidade de modernizar os atores econômicos locais para a construção de ações e iniciativas que garantam o desenvolvimento da Bahia. “Neste sentido, o vice-governador e secretário do Planejamento, João Leão, está percorrendo a Bahia com uma caravana, discutindo quais são as prioridades para cada uma das regiões”.

Diversidade 

Prefeito de Filadélfia, na região centro norte da Bahia, Lourivaldo Pereira Maia descreve as características do município e diz que o seminário vai ser produtivo. “Nossa região tem como característica a caatinga. Nós estamos no semiárido e temos falta de água, de chuva e de emprego. Esse seminário vai nos orientar para que fiquemos alinhados com as políticas públicas estaduais e federais e que podemos levar água, gerar renda e desenvolvimento para o nosso município". 

Segundo o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, a região sul é carente, mas tem grande potencial turístico. “Com este seminário, nós podemos programar nossos projetos de acordo com as características da região e alinhados com as possibilidades oferecidas pelos governos estadual e federal. A gente fica feliz quando tem um apoio como este para planejar as ações que serão desenvolvidas para o nosso povo durante quatro anos”.

De acordo com João Leão, o Governo do Estado está com uma agenda territorial (Ageter) de desenvolvimento econômico, baseado nas características de cada um dos territórios. “Nós queremos que o PPA seja um complemento dessa agenda territorial, para levar o desenvolvimento a todos os municípios da Bahia. Nós iremos a todos os territórios. Iniciamos pelo Baixo Sul e, na próxima semana, vamos ao Nordeste 2, no semiárido”.

Situação econômica

No evento, o governador comentou também que o país não está vivendo um período de fartura. “Estamos enfrentando o período mais difícil do ponto de vista econômico e político. Esta é a maior crise vivida nos últimos 60 anos. O país nunca tinha vivido dois anos seguidos de PIB negativo e isso aconteceu em 2015 e 2016”. 

Da acordo com Rui, o Governo do Estado está desenvolvendo diversas ações estruturantes para prevenir os efeitos de crises como a atual no futuro. “Nós concluímos, por exemplo, o cadastro do Mais Futuro para apoiar os jovens que estão matriculados em uma das quatro universidades do Estado. Cada aluno vai receber uma bolsa de R$ 300 se morar a até 100 quilômetros de onde estuda e R$ 600 se for a mais de 100 quilômetros. Também resolvemos centralizar os estágios de nível superior, estamos oferecendo 2,5 mil vagas e já passamos de 9 mil inscritos". 

Da Secom  - Secretaria de Comunicação Social - Governo da Bahia
Por - Daniel Thame
Fotos: Manu Dias/GOVBA


Nenhum comentário: