DIGNIDADE

De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto. Rui Barbosa


FEIJOADA DO ALBERGUE BEZERRA DE MENEZES NA AABB, DIA 19 DE NOVEMBRO AO MEIO DIA. VALOR R$25,00 ADQUIRA O SEU BILHETE E CONTRIBUA COM QUEM PRECISA. TELEFONES (73) 3215-1511 E 9-8889-0991 E FAÇA UMA BOA AÇÃO!

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Secretário Estadual do Meio Ambiente visita primeira fazenda autorizada a fazer manejo da cabruca

O Secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado da Bahia, Eugênio Spengler, visitou a fazenda Cordialidade, do produtor Pedro Roberto Figueiredo, localizada no município de Itajuípe-BA, primeira fazenda de cacau a receber autorização do Inema para realizar o manejo legal da cabruca, cultivo do cacaueiro sob Mata Atlântica.


O chefe do serviço de pesquisa do Cepec, José Marques Pereira, o chefe do serviço de extensão, João Henrique Almeida, técnicos, pesquisadores da Ceplac e produtores rurais da região acompanharam o secretário Spengler, que plantou uma árvore de pau brasil, viu a área de cacau sob mata, visitou área de proteção de nascentes e ouviu explanação feita pelo coordenador do projeto Barro Preto, Antonio Fernando Ribeiro.


Segundo Ribeiro “o projeto Barro Preto tem como finalidade funcionar como um “laboratório” para treinar as práticas de manejo da Cabruca e aprimorar os procedimentos visando a conservação produtiva; nesse pequeno espaço, a Ceplac pretende aprimorar as técnicas já desenvolvidas e no futuro levar a todas as áreas de cabruca da região, elevando também a produtividade dessas áreas, que hoje está na faixa de 10 a 15 arrobas, para média de 60 arrobas por hectare.” Nesse projeto a Ceplac tem como parceiros A MARS, o sindicato rural patronal e Prefeitura de Barro Preto.


- É impressionante a evolução das atividades desse projeto. Ver o aumento de produtividade com sustentabilidade, o produtor conseguir aumentar a produtividade de cinco arrobas para 70 e perceber a quantidade de matéria orgânica no solo, não tem erosão nem degradação da natureza, e o mais importante com viabilidade econômica – observou Eugênio Spengler.


O Secretario do Meio Ambiente disse ainda que “é muito importante a parceria da SEMA com a Ceplac, uma vez que não poderíamos tomar nenhuma decisão sem base técnica, nesse projeto. Os dados de pesquisa, experiências e observação do campo, na sua maioria, é da Ceplac, que é imprescindível no ponto de vista do conhecimento, do manejo e extensão rural.”


O proprietário da fazenda Cordialidade, Pedro Roberto Figueredo, disse que estava colhendo cinco arrobas de cacau por hectares e, com o manejo, está colhendo 70 arrobas e afirmou que seu objetivo é atingir 1.500 arrobas em sua pequena área.


O projeto Barro Preto é desenvolvido em 11 propriedades rurais com objetivo de obter resultados econômicos, sociais e ambientais, como a preservação da Mata Atlântica, a fauna, a flora e a proteção das nascentes d’água.

Superintendência da Ceplac para BA e ES
Por: Raimundo Nogueira
Reportagem: Luiz Fernando de Deus
Fotos: Águido Ferreira
Assessoria de Comunicação da Ceplac 

Nenhum comentário: