Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Hospital de Base ganha mais equipamentos e amplia número de leitos

            O Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, vai ganhar, nos próximos dias, mais 22 leitos, aumentando para 184 a sua capacidade de internações simultâneas de pacientes. O novo espaço de atendimento será utilizado para desafogar o Pronto Socorro da unidade hospitalar onde, atualmente, pacientes que necessitam de mais cuidados aguardam por uma vaga.            De acordo com o prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, a obra de preparação do espaço está sendo realizada com recursos próprios do município e inclui, além da reforma completa, a instalação de um sistema central de climatização e de equipamentos de última geração que garantam mais segurança no acompanhamento clínico dos pacientes.


            Outro ganho importante anunciado pelo prefeito Vane é a aquisição de dois aparelhos para hemodiálise. São seminovos e vieram do Hospital Ana Nery, em Salvador, através de uma parceria da Secretaria de Saúde da Bahia com a Prefeitura de Itabuna.

O prefeito explica que até então, pacientes que necessitavam deste tipo de tratamento em Itabuna tinham que ser transferidos para a Santa Casa de Misericórdia. E, em casos mais graves, para a capital do estado. “Agora passaremos a fazer aqui o atendimento a pacientes renais crônicos, com um dos aparelhos ficando na UTI do hospital”, informou Vane.

MAIS RECURSOS, MAIS BENEFÍCIOS

Na manhã de hoje, acompanhado de autoridades municipais e de servidores do Hospital de Base, o prefeito Claudevane Leite participou da assinatura de um convênio, fruto de uma emenda parlamentar ao Orçamento Geral da União proposta pelo deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB/BA), para mais investimentos ao hospital.
A emenda prevê a destinação de R$ 750 mil para a reforma da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou do Centro Cirúrgico, a depender do projeto que for apresentado pela Prefeitura, mais R$ 250 mil para aquisição de novos equipamentos.

            Representando o Governo federal participou da solenidade, o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Marcus Vinícius Nascimento, que destacou a qualidade do novo modelo de gestão do hospital e disse que, por se tratar de um setor sensível, que beneficia diretamente à população, o Governo tudo fará para agilizar a licitação da obra.

“Só há três formas de angariar recursos para o hospital: através de repasses oficiais, doações ou de emendas parlamentares”, destacou o médico Silvane Chaves, presidente da Fundação de Atenção à Saúde de Itabuna (FASI), entidade mantenedora do Hospital de Base. Atualmente, a Prefeitura investe R$ 3.076 mil todos os meses para manutenção da unidade. “Por isso, toda ajuda aqui é muito bem-vinda por que, na prática, representa resultados positivos na vida da população”, completou.

MAIS RECURSOS INVESTIDOS

O prefeito Claudevane Leite lembrou que, apesar da sua gestão já ter pago mais de R$ 40 milhões em dívidas herdadas da gestão anterior, a atual administração municipal é reconhecidamente um dos que mais investiram na saúde pública. Levantamento feito pela consultoria Austing Rasting, publicada pela Revista Isto É, aponta que Itabuna é a 12ª cidade brasileira na aplicação de recursos no setor, entre os grandes municípios brasileiros. Atualmente de cada R$ 100,00 são aplicados na saúde R$ 18 reais.
          
  Desde que assumiu o mandato, o deputado federal Davidson Magalhães priorizou emendas para a saúde pública de Itabuna. Conseguiu, junto ao Governo estadual uma ajuda de R$ 1milhão para aplicar no setor, mais R$ 1,7 milhão para a instalação do “QG de Combate ao Mosquito”.  

Agora destina mais R$ 1milhão para aplicar no Hospital de Base. Hoje, o deputado Davidson Magalhães assumiu mais um compromisso com os servidores do hospital: na lista das emendas para o Orçamento Geral da União de 2017, que terá que apresentar até agosto deste ano, vai incluir recursos para a construção de uma área para acolhimento dos trabalhadores do hospital, uma antiga reivindicação da categoria.

            Além dos vereadores Aldenes Meira, Jairo Araújo e Glaby Carvalho Andrade, o “Glebão”, estiveram presentes ao ato os secretários Wenceslau Júnior (Planejamento e Tecnologia); José Humberto Martins (Indústria, Comércio e Turismo); Evans Maxwel Silva (Esportes e Recreação), Paulo Bicalho (Saúde), Gilvan Rodrigues (Comunicação) e o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Josevaldo Gonçalves.

UNIDADE IMPORTANTE

Localizado em uma região estratégica da Bahia, o Hospital de Base atende a uma população estimada em 1,5 milhão de habitantes. São 168 municípios pactuados que encaminham casos de urgência e emergência para Itabuna pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Com 85 médicos e 703 técnicos, o hospital é “uma pequena cidade” onde muitas pessoas precisam de tratamento e outras inúmeras, que as acompanham, de uma atenção especial. A cada mês são 5.600 pacientes atendidos no Pronto Socorro da unidade hospitalar. E uma média de 400 cirurgias – das mais simples até as mais complexas, como neurocirurgias e ortopedia – realizadas todos os meses.

Queda nos casos de viroses em Itabuna

A Prefeitura de Itabuna, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, confirmou hoje queda nos casos de viroses causadas pelo mosquito Aedes aegypti no município. Durante entrevista o secretário municipal de Saúde, Paulo Bicalho, repetiu a informação que deu pela manhã no Hospital de Base de que há estabilização da curva no número de pessoas acometidas com as arboviroses zika vírus, chikungunya e dengue como aponta os dados coletados na 11ª semana epidemiológica.

 O secretário disse que, desde a implantação do QG de Combate ao Mosquito, no dia 17 de fevereiro passado, o número de pacientes atendidos está diminuindo. “Até agora já prestamos atendimento primário a 48 mil pessoas no QG, onde a equipe de profissionais médicos e de enfermagem tem confirmado a queda no número de casos das viroses”, disse Paulo Bicalho.
Na unidade avançada da Secretaria Municipal de Saúde, que funciona na Avenida do Cinquentenário, centro, a demanda de atendimento a pacientes é feito por nove médicos, sendo cinco durante o dia e quatro no plantão noturno, além de enfermeiros, técnicos em enfermagem e coordenadores de vários departamentos da Secretario Municipal de Saúde.  No local foram instalados laboratórios, consultórios médicos, salas de coleta, triagem, hidratação e de controle e uma farmácia.

O secretário municipal de saúde também destacou a participação da população nos esforços do poder público para frear a proliferação do mosquito, principalmente integrando-se às ações, que incluem faxinaço nos bairros na manhã das quartas-feiras, e faxinas dentro das próprias casas para eliminação de focos do Aedes aegypti em depósito de água, quintais, etc. Bicalho disse que apesar do declínio não há motivo para diminuir a vigilância.

“Nesta segunda fase as ações serão ainda mais intensificadas, inclusive com a utilização de tablets para reunir imagens e informações do trabalho de campo dos cerca de 430 agentes de endemias e comunitários de saúde”, afirmou. “Houve bom retorno nas ações de campo. Por isso, vamos precisar ampliar a participação e integração das pessoas nas ações de vigilância ao longo do ano. O Ministério da Saúde deve disponibilizar, a partir da próxima semana, testes rápidos sobre a contaminação pelos vírus da dengue e zika vírus que, dando negativo, também serve ao diagnóstico da chikungunya”, concluiu.

Da Sec. de Comunicação

Nenhum comentário: