Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

LULA LÁ: PF: INQUÉRITO APURA SE LULA SE ENVOLVEU EM VENDA DE MPS

PF APURA PAPEL DO EX-PRESIDENTE NA VENDA DE MEDIAS PROVISÓRIAS
Publicado: 04 de fevereiro de 2016 às 12:39 - Atualizado às 15:41 - Do - Diário do Poder
Adicionar legenda
AO REBATER ADVOGADOS, DELEGADO DA ZELOTES AFIRMA QUE INVESTIGAÇÃO FOI ABERTA PARA AVERIGUAR A POSSIBILIDADE DE 'CORRUPÇÃO' DE OUTROS SERVIDORES, POIS AINDA ESTAVA PENDENTE A ANÁLISE DE VÁRIAS PROVAS (FOTO: ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO)

O delegado da Polícia Federal Marlon Cajado afirmou, em ofício à Justiça Federal, que inquérito em curso na Operação Zelotes apura se o ex-presidente Lula e mais agentes públicos estão envolvidos no suposto esquema de "compra e venda" de medidas provisórias. Além do petista, são alvos o secretário executivo do Ministério da Fazenda Dyogo Oliveira e a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra.
O documento foi enviado na última terça-feira, 2, ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal, em Brasília, para justificar críticas de advogados de que haveria um inquérito "paralelo" investigando os mesmos fatos já denunciados à Justiça. 
Segundo o delegado, embora já houvesse provas suficientes para denunciar dois ex-servidores públicos (Lytha Spíndola e Fernando Mesquita), "os demais documentos juntados aos autos apontavam para eventuais colaborações de outros servidores públicos para a consecução dos interesses da organização criminosa".
"Buscando-se evitar conclusões precipitadas, fez-se necessária a instauração de novo procedimento policial tentar alcançar a verdade real sobre os fatos apurados, isto é, se outros servidores públicos foram de fato corrompidos e estariam associados a essa organização criminosa ou se esta estaria "vendendo fumaça", vitimando-os e praticando tráfico de influência com relação aos mesmos, a saber, Erenice Alves Guerra, Dyogo Henrique e Oliveira, Nelson Machado, Luiz Inácio Lula da Silva", afirmou o delegado. 
Lula já foi ouvido na Zelotes, mas na condição de informante. Ele era presidente quando duas das medidas sob suspeita foram editadas, a MP 471/2009 e a MP 512/2010. O filho caçula do petista, Luís Cláudio Lula da Silva, recebeu R$ 2,5 milhões de um dos lobistas presos na Zelotes, acusado de atuar em suposto esquema de corrupção para atuar nas normas. A PF suspeita de que os pagamentos possam estar relacionados à edição de uma terceira norma, a MP 627/2013 e também à compra de caças pelo governo brasileiro, naquele ano.
No ofício, o delegado afirma que não há elementos suficientes, por ora, para remeter a investigação ao Supremo Tribunal Federal (STF). No diário de um dos investigados, João Batista Gruginski, apreendido pela PF, há menção a suposto pagamento de propinas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR), fora o ex-senador Gim Argello (PTB-DF). Com informações da Agência Estado.

Nenhum comentário: