Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Lavagem da Catedral de São Sebastião, em Ilhéus, superou expectativas



As homenagens a São Sebastião, padroeiro da Catedral Diocesana e dos Estivadores do Município, serão encerradas nesta quarta-feira, dia 20, com uma vasta programação católica, que inclui celebrações e caminhada de fé
Marcada pelo sincretismo religioso e por um belo ritual de fé e esperança, a festa popular da Lavagem da Escadaria da Catedral de São Sebastião, em Ilhéus, foi considerada um sucesso absoluto este ano. O evento, que atraiu centenas de ilheenses e turistas no último sábado, 16, integrou as homenagens a São Sebastião, padroeiro da Catedral e dos Estivadores do Município. Acompanhado da primeira-dama Adryana Ribeiro, e de vários secretários municipais, o prefeito Jabes Ribeiro participou da festa, dando início, inclusive, à lavagem simbólica da escadaria com o auxílio do carro-pipa.

Na oportunidade, o prefeito reiterou seu compromisso com o resgate das tradições culturais e pelo fortalecimento das festas populares, "o que, sem dúvida alguma, enriquece a cultura do município e contribui para o incremento turístico", comentou Jabes Ribeiro, que recebeu "água de cheiro" das baianas e foi abraçado por inúmeras pessoas durante o evento.
As homenagens a São Sebastião serão encerradas nesta quarta-feira, 20 de janeiro, data oficial de celebração, com uma programação católica, que inclui, a partir das 9 horas, 1ª celebração eucarística, às 17 horas, procissão, e às 19 horas, 2ª celebração eucarística. A Caminhada de Fé incluirá a avenida Dois de Julho, a praça Cairu e as ruas Tiradentes e Almirante Aurélio Linhares.
Lavagem – Desde às 9 horas da manhã de sábado, 16, diversas pessoas começaram a se concentrar na Avenida Dois de Julho, nas proximidades da sede do Sindicato dos Estivadores, entidade que promove o evento, em parceria com a Prefeitura, através das secretarias de Turismo e de Cultura. Liderado pelo trio Poeirão e pelo minitrio Cachorrão, o cortejo popular saiu da Dois de Julho, por volta do meio-dia e percorreu algumas ruas do centro histórico, retornando pela Avenida Soares Lopes em direção à Catedral.
Além das baianas, com suas tradicionais jarras de água de cheiro, o cortejo contou com a participação de grupos culturais afro, como Dilazenze, Zambi Axé, Yorumbá, Mini-Congo e Guerreiros de Zulu, além de afoxés, populares e grupos e academias de capoeiristas. Cerca de 50 minutos depois, sempre com muita alegria, cantos e danças, o cortejo chegou à praça Dom Eduardo, onde foi recebido com uma queima de fogos.
Já na Praça Dom Eduardo, as baianas deram início à Lavagem da Escadaria da Catedral utilizando vassouras, água de cheiro e muitas flores. Na sequência, ilheenses e visitantes se divertiram ao som de bandas musiscais no trio Poeirão e minitrio Cachorrão. Para enfrentar o sol escaldante, o público contou com o alívio do carro-pipa, equipado com 300 mil litros de água.
Opiniões – Para a itabunense Jaslam Ferreira, revendedora de perfumes, de 24 anos, um dos aspectos mais interessantes da Lavagem da Escadaria da Catedral é a ‘democracia religiosa’. "Aqui é fácil observar a reunião de diversos elementos culturais e religiosos. A tolerância é ampla. Em um mundo intolerante como o nosso, isso é muito legal", comentou.
Já na opinião de Celso Villaron, pequeno empresário de 57 anos que reside em Camaçari, o verão de Ilhéus é muito gostoso porque, além das belas praias e da estrutura de lazer que a cidade oferece, o turista ainda tem a seu dispor um calendário muito legal de eventos populares. "Cheguei ontem - dia 15 – em Ilhéus para passar alguns dias e já estou sendo presenteado com uma festa tão bonita, pacífica e alegre", opinou.
Origem – A festa em homenagem ao padroeiro da Catedral Diocesana e dos Estivadores do Município é realizada desde meados da primeira década do Século XX. Com o passar do tempo, além da procissão e da missa solene, passou a incorporar uma série de manifestações profanas.
São Sebastião (França, 256 d.C. – 286 d.C.) foi um mártir e santo cristão, morto durante a perseguição levada a cabo pelo imperador romano Diocleciano. O seu nome deriva do grego "sebastós", que significa divino, venerável. No Brasil, ele é celebrado com festas e feriados no dia 20 de janeiro, sendo padroeiro de várias cidades do país.
Da - Secretaria de Comunicação Social

Nenhum comentário: