Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Paulo Souto diz ‘sim’ e vai disputar governo da Bahia pela quinta ve

Matéria do portal do jornal Folha de São Paulo desta quinta-feira, assinada pelo jornalista João Pedro Pitombo, informa que o ex-governador da Bahia por dois mandatos (1995-1998 e 2003-2006), Paulo Souto (DEM), deverá disputar pela quinta vez o governo da Bahia. Segundo o jornal, o anúncio da candidatura, contudo, deve acontecer somente depois do Carnaval. Até lá, o objetivo é unificar os seis partidos que dão sustentação ao prefeito ACM Neto (DEM) em torno da candidatura de Souto.
  A principal resistência vem do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), que quer encabeçar a chapa das oposições para enfrentar Rui Costa (PT), candidato do governador Jaques Wagner.

  Mesmo com a pretensão de concorrer ao governo, Geddel afirmou por diversas vezes à imprensa que cederia, caso Souto aceitasse disputar o cargo. À Folha Geddel afirmou que não comentaria o assunto. Partidos aliados como DEM e PSDB defendem que o peemedebista concorra ao Senado.
Já Souto diz que a definição do candidato ao governo ainda está sendo discutida pelos partidos. Mas três aliados ouvidos pela reportagem confirmam que o ex-governador será o candidato.
Diz mais a reportagem da Folha: Até a semana passada, Souto vinha sendo reticente quanto à possibilidade de disputar um novo mandato de governador e chegou a anunciar a ACM Neto que não concorreria ao governo.
  Voltou atrás na última sexta-feira e deixou de lado seu estilo recatado. Na quarta-feira (5),participou pela primeira vez de uma inauguração ao lado de ACM Neto em Salvador. Até então, Geddel era presença constante em atos públicos ao lado do prefeito. Desta vez, o peemedebista não foi.
“A política é feita de símbolos e estes mostram que Paulo Souto está no jogo e quer concorrer”, afirmou José Carlos Aleluia, secretário municipal e vice-presidente nacional do DEM.

Com Souto, o partido espera ainda voltar a ter maior relevância no Estado, o que não ocorre desde a morte do senador Antônio Carlos Magalhães (1927-2007), avô do prefeito de Salvador.

Nenhum comentário: