Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio natural. Não jogue lixo em seu leito.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Coren vai entrar com denúncia contra o PAM de São João de Meriti


O Conselho Regional de Enfermagem prometeu entrar nesta segunda-feira (22) com uma denúncia no Ministério Público contra o Posto de Atendimento Médico de São João de Meriti, onde uma idosa morreu depois de receber café com leite na veia. Os fiscais fizeram uma vistoria no domingo (21) e encontraram diversas irregularidades, conforme mostrou o Bom Dia Rio.

A fiscalização só começou depois de três horas de espera. Representantes do Conselho Regional de Enfermagem (Coren) contam que foram barrados por seguranças do PAM de Meriti quando chegaram ao local. “Fomos impedidos de entrar para exercer a fiscalização do exercício da profissão”, afirmou Pedro Silva, presidente do Coren.

A visita do Coren acontece exatamente uma semana depois que uma idosa de 80 anos morreu no posto. Ela recebeu café com leite na veia e não resistiu. A estagiária que teria injetado o líquido por engano foi indiciada pela polícia. Segundo a família da idosa, não havia nenhum profissional responsável por perto.

Os fiscais dizem que neste domingo, apenas um enfermeiro e 9 técnicos estavam trabalhando. Um dos técnicos estava há 36 horas em serviço, 12 horas a mais que o permitido. O ideal é que num posto com capacidade para 70 leitos, cada turno contasse com 8 enfermeiros e 25 técnicos de enfermagem atendendo.

Os fiscais disseram que é preocupante o PAM de Meriti funcionar com tão poucos profissionais de enfermagem. O presidente do conselho disse que nesta segunda vai tomar providência para tentar resolver o problema. “Vamos entrar, junto com o Ministério Público, na segunda-feira, e uma ação civil pública de imediato na segunda-feira também”, afirmou Silva.
Moradores do município fazem diversas críticas ao serviço prestado pelo PAM. “Primeiro, você nunca encontra médico ali, só encontra esses estagiários, e socorro ali é um problema sério”, afirmou uma moradora.

A produção do Bom Dia Rio entrou em contato com a prefeitura de São João de Meriti para questionar sobre as reclamações dos pacientes, mas não teve retorno.

A estagiária de enfermagem Rejane Moreira Telles, de 23 anos, que no último dia 14 aplicou café com leite na veia de Palmerina Pires Ribeiro, de 80 anos, declarou ao Fantástico deste domingo que nunca havia injetado qualquer tipo de medicação antes. Rejane, que segundo o delegado da 64ª DP, Alexandre Ziehe estava há apenas três dias no estágio, disse ter consciência do risco de injetar na veia o que seria aplicado em alimentação oral. "Mas, como tava junto, qualquer um se confunde", defendeu-se.


Nenhum comentário: