Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio natural. Não jogue lixo em seu leito.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Fórum avalia avanços e propostas da Escola Grapiúna


Centenas de educadores da rede municipal de ensino participaram ontem, no auditório da FTC, do II Fórum de Educação que teve como tema Educação Municipal no Texto e Contexto da Proposta da Escola Grapiúna – 10 anos de Ciclos de Formação Humana. O evento, promovido pelo Conselho Municipal de Educação (CME) em parceria com a Secretaria da Educação, culminou com a elaboração de uma carta de intenções definido rumos e estratégias para a educação em Itabuna.
O prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, foi representado na abertura da solenidade pelo secretário da Educação, Gustavo Lisboa, que também participou de um colóquio sobre a Trajetória da Educação no Contexto da Proposta da Escola Grapiúna. Para ele, o fórum é um importante espaço para a discussão sobre “que tipo de educação queremos e qual o modelo mais adequado para Itabuna”.
Ele considera que o primeiro passo é partir do pressuposto de que o processo envolve uma melhoria e um avanço continuado da educação: “Este também é um momento para avaliarmos os avanços e os ganhos no que diz respeito ao aprendizado e à construção de todo um sistema que aponte os caminhos para a educação e fortalecimento do CME”, argumentou.
Lisboa elogiou o Conselho Municipal de Educação, que está trilhando o caminho correto no encerramento de 10 anos de introdução dos Ciclos de Formação Humana e ao propor novas medidas e ações para possíveis correções de rumos ou distorções, procurando o que seja melhor e se adapte à realidade itabunense.
Objetivos
A presidente do CME, Maria Lúcia Bittar Santos, destacou que o fórum tem o objetivo de avaliar conjuntamente com os profissionais do magistério e áreas afins as ações desenvolvidas no contexto da educação, com ênfase na trajetória de 10 anos de implantação da proposta da Escola Grapiúna, considerada um divisor de águas na forma de organização dos processos educativos, com base nos Ciclos de Formação Humana.
A proposta do fórum foi elogiada pelo promotor Clodoaldo Anunciação, que o considerou um espaço de diálogo e saberes para a discussão de questões relativas à educação. “Uma semente que está dando resultados e nos aponta ideias e ações visando à melhoria de uma escola plural”, frisou.
A conferência de abertura teve a participação de Miguel Arroyo, da Universidade Federal de Minas Gerais e doutor pela Universidade de Stanford (EUA), que abordou a questão do Ciclo de Formação e Desenvolvimento Humano no Cenário Nacional. Para ele, os ciclos não são mais que uma proposta inovadora isolada de algumas escolas ou rede, como no caso a de Itabuna. Trata-se de uma forma de organizar os processos educativos  que está merecendo a devida atenção dos formuladores de políticas e de currículos”.
O fórum teve ainda a participação em debates, colóquios e mesas redondas do vice-presidente da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação e ex-secretário municipal da Educação, Adeum Sauer; da professora Anorina Smith Lima, presidente de honra do CME; da doutoranda da Uesc, Alba Lúcia Gonçalves; e da professora da Uesc, Gilvânia Nascimento, entre outros convidados.

Nenhum comentário: