Lixo

Itabunense seja educado não jogue lixo na rua e nem no Rio Cachoeira. A Natureza agradece!

sábado, 30 de abril de 2011

PORQUE HOJE É SABADO...

"Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova quando chamado de amigo. 

Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de
grandes chuvas e das recordações da infância.

Preciso de um amigo para não enlouquecer, para contar o que vi de belo e triste
durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.

Deve gostar de ruas desertas, de poças d´água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim. 

Preciso de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já tenho um amigo.

Preciso de um amigo para parar de chorar. Para não viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas.

Que bata nos ombros sorrindo e chorando, mas que me chame de amigo, para que eu tenha a consciência de que ainda vivo"

                                                            VINICIUS DE MORAIS


SEGUREM OS BOLSOS E BOLSAS

                                                                       Andre Dusek/Agência Estado

Pivô do escândalo do mensalão, Delúbio Soares foi reintegrado ontem ao PT por maioria esmagadora de votos dos integrantes do diretório nacional. Ele obteve 60 votos a favor da anistia, 15 contrários e duas abstenções. Delúbio foi expulso em 2005, quando a direção petista acabou dizimada na maior crise do governo de Luiz Inácio Lula da Silva.
Defenderam o retorno de Delúbio o ex-presidente do partido Ricardo Berzoini (SP), o ex-deputado Virgílio Guimarães (MG) e Bruno Maranhão, dirigente do Movimento de Libertação dos Trabalhadores Sem Terra (MLST) e líder do quebra-quebra ocorrido na Câmara, em 2006. Berzoini e Maranhão, que votaram a favor da expulsão em 2005, por "gestão temerária", disseram que Delúbio "já pagou um preço muito alto".

Contra a reintegração foram escalados Valter Pomar, Carlos Alberto Árabe e Renato Simões, de tendências mais à esquerda. "Delúbio não fez qualquer autocrítica e o PT não tomou posição sobre o dito caixa 2 nem sobre os réus do mensalão", disse o deputado estadual Raul Pont, presidente do PT gaúcho e membro da Democracia Socialista.

O retorno de Delúbio ao PT foi um prêmio à fidelidade do ex-tesoureiro, que jamais abriu a boca para criticar os dirigentes que defenderam sua expulsão. Ele não revelou como eram feitas as operações bancárias irregulares fechadas em nome da direção do PT com o empresário Marcos Valério. Também silenciou sobre a distribuição de dinheiro para parlamentares que votavam em projetos de interesse do governo. Delúbio foi acusado de recolher R$ 55 milhões em "recursos não contabilizados" e distribuí-los para políticos e assessores.

Desde a expulsão, o ex-tesoureiro portou-se como se fosse um soldado petista. Não abandonou nem a estrela. Criou uma revista, Companheiro Delúbio, na qual se defendeu e se exibiu ao lado do símbolo do PT. Em 2009, tentou voltar ao partido, mas o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva impediu, com medo de que o ato contaminasse a eleição de 2010 e atrapalhasse Dilma Rousseff.

Garantida a eleição de Dilma, Lula deu aval à volta de Delúbio. Achava, porém, que o assunto poderia ser examinado após o julgamento no Supremo Tribunal Federal, previsto para 2012. Defenderam o retorno imediato nomes como o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, e a senadora Marta Suplicy, ambos de São Paulo.

Delúbio volta ao partido, mas não deverá ter cargo num primeiro momento. Ainda é o principal réu do processo do mensalão. A volta do tesoureiro reforça um movimento do PT de esvaziamento do escândalo.

Sinal político concreto em prol da contestação do processo do mensalão foi dado por Lula. Ao deixar o governo, disse que sua missão seria mostrar que o mensalão "é uma farsa". E nessa trilha, lentamente, réus que aguardam o julgamento estão recuperando forças políticas, ocupando cargos importantes na Esplanada e, agora, no partido.

Delúbio tem a pretensão de ser candidato a vereador em Goiânia, mas nem isso está garantido, porque poderá ser pego pela Lei da Ficha Limpa.

O novo presidente do PT, Rui Falcão, justificou o apoio a Delúbio. "Como não existe pena perpétua, encaramos esse retorno com naturalidade." Questionado se a decisão não contaminaria o julgamento do mensalão, disse que os ministros firmarão suas convicções de acordo com os autos. "Eles não vão julgar conforme a decisão do PT."

No auge da crise política que marcou o País no ano de 2003, que ficou conhecida como “mensalão”, o poderosíssimo ministro Chefe da Casa Civil, José Dirceu que dividia meio a meio o poder com o presidente Lula, afirmou categoricamente como se estivesse obrando uma verdade absoluta: “Eu disse e repito: este governo não rouba e não deixa roubar. É um governo republicano”.
Este foi o marco que deu início a uma corrupção como “ninguém nunca viu na história desse país!”.

Concluiu-se que até então, o Partido dos Trabalhadores desfraldava a bandeira da honestidade, tão somente por não ter acesso ao roubo. Quando os petistas pegaram a chave do cofre, formaram imediatamente uma grande quadrilha, com a conivência cúmplice do presidente Lula, e começaram o grande saque, que, pela continuidade atual, dá entender que só terminará, quando não houver mais dinheiro a ser roubado


A maquinista do trem-fantasma também pilota um avião invisível que voa sem sair do solo

“Eu cumpro meus compromissos”, repetiu a presidente Dilma Rousseff na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Cumpre nada, reitera o vídeo de cinco minutos e meio gravado em 18 de outubro de 2010 e reproduzido na seção O País quer Saber.

Embalada pela campanha eleitoral, a candidata promete garantir a segurança nas fronteiras com os sobrevoos de um Vant (Veículo Aéreo Não-Tripulado) e a mobilização de uma Polícia Federal de Primeiro Mundo. Nesta semana, constatou-se que os dois deslumbramentos só existem no Brasil Maravilha registrado em cartório.

No mundo real, a Polícia Federal foi empurrada para longe das fronteiras pelo corte de R$1,5 bilhão no orçamento anual do Ministério da Justiça. Com o sumiço do dinheiro, ficaram para quando Deus quiser a ampliação dos efetivos da Polícia Federal e a fiscalização das rotas do narcotráfico e do contrabando de armas. E o Vant só decolou na imaginação de Dilma Rousseff. Continua em terra por falta de combustível, revelou nesta quarta-feira a Folha de S. Paulo.

Até que a PF consiga alguém disposto a fornecer 12 mil litros de gasolina de aviação por ano, a bandidagem estará livre desse espião eletrônico que, guiado por controle remoto, dispensa pilotos e consegue, a 5 mil metros de altitude, fotografar a placa de um carro em alta definição. O lote de 15 Vants e quatro estações de controle, comprado por R$ 540 milhões de um fabricante israelense, chegará em fatias até 2015. Por enquanto, só chegou o aparelho que segue estacionado num galpão do aeródromo de São Miguel do Iguaçu, a 40 quilômetros de Foz do Iguaçu.

Em fevereiro, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, pousou na região para anunciar que a decolagem inaugural ocorreria em março. De volta a Foz do Iguaçu nesta semana, preferiu conversar sobre a importância da integração dos mecanismos de combate aos narcotraficantes e aos comerciantes de armas. Nada sobre as verbas que sumiram. Nem sobre o colosso tecnológico.

Quem conhece Dilma Rousseff não tem o direito de surpreender-se. Em vez de honrar compromissos, ela prefere fingir que o imaginário existe. No momento, brinca de maquinista de trem-fantasma e, simultaneamente, flutua sobre as nuvens na cabine de um avião invisível.

Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Mais um mutirão da TV Cabrália amanhã na Beira-Rio


 Amanhã (30) a partir das 8:00 horas, a TV Cabrália realiza mais um grande mutirão na Avenida Beira-Rio, ao lado da Câmara de Vereadores de Itabuna. A estrutura já está toda montada para a prestação de inúmeros serviços à comunidade de todo o sul da Bahia e, em, especial, a cidade de Itabuna. 

No mutirão serão prestados serviços de saúde física e bucal, quando você vai poder saber o seu índice de glicose, medida de pressão arterial, etc., além de contar com outros serviços essenciais por parte da Prefeitura Municipal, Coelba e a Emasa que desta vez vai estar presente para atender a sua solicitação de serviços de água e esgoto.

A informação foi dada, ao meio dia de hoje (29), pelo o apresentador do Alerta Total, Tom Ribeiro que esperando um recorde de público, informou que com a participação do município e de várias empresas privadas da cidade, as grandes atrações são os vários show que serão  realizados por artistas e bandas 
regionais que animarão o evento, além da transmissão do Alerta Total ao vivo para todo o Norte/Nordeste do País.     
Foto: arquivo   

Feira de Negócios de Administração da FTC

 
        Ter um espaço apropriado para por em prática os conteúdos teóricos adquiridos em sala de aula. Essa é a expectativa dos estudantes do curso de Administração da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) de Itabuna que estão ultimando os preparativos para participarem nos próximos dias 04 e 05 de maio da II Feira de Negócios, com produtos e serviços direcionados ao Dia das Mães, que transcorre no domingo, dia 8.

        Em stands instalados no saguão e no Tablado Cultural do campus da FTC, os acadêmicos vão exercitar, junto ao público visitante da Feira, as práticas administrativas nas áreas de planejamento, organização, direção e controle, de acordo com o que foi aprendido nas respectivas disciplinas estudadas no atual semestre letivo. O desempenho dos estudantes nestes aspectos e os resultados serão observados 

        Segundo a coordenadora do curso de Administração, professora Maria Alice Dória, o público que vier visitar a II Feira der Negócios da FTC terão à disposição uma série de produtos e serviços de qualidade que estarão sendo oferecidos, inclusive, com preços diferenciados daqueles praticados no mercado.
“Com certeza, esse será um dos grandes atrativos do evento, além da criatividade que os alunos empregarão para expor, anunciar e comercializar os produtos e serviços”, argumenta a professora. Maria Alice lembra que, quando realizada pela primeira vez em 2010, a Feira de Negócios das FTC se constituiu numa excelente oportunidade para o exercício da interdisciplinaridade, tendo em vista a necessidade que os estudantes têm de buscar embasamento teórico em diversas disciplinas na preparação e organização dos seus estantes.

Outro aspecto positivo na realização da Feira, destacado pela coordenadora do curso de Administração, é a possibilidade de estimular nos alunos o espírito empreendedor. Ela ressalta o fato de equipes que trazem para o evento produtos regionais com excelente nível de qualidade, mas que ainda não são conhecidos e comercializados em larga escala no mercado.  


Por: Erivaldo Bomfim
Ascom – FTC Itabuna
29-04-2011

Abrigo promove brechó neste sábado


     O Abrigo São Vicente de Paulo de Ilhéus realiza, neste sábado,  30, em frente à sede da própria instituição, localizada no bairro da Conquista, um brechó com o objetivo de arrecadar recursos para a manutenção do lar de idosos. A feira acontecerá das 8 às 14 horas.

    Durante o evento, estarão à disposição pequenas sucatas, roupas usadas, bijuterias, bolsas, sapatos, além de tortas, salgados e refrigerantes. Além de adquirir qualquer produto, o visitante pode aproveitar a oportunidade para fazer doações, contribuindo com o trabalho de assistência social integral a cerca de 100 internos do Abrigo São Vicente.

   Segundo a presidente da instituição, professora Marileide Souza, as campanhas de arrecadação de donativos vão continuar para que possam garantir o custeio das atividades de manutenção da casa. “Precisamos pagar as contas e comprar porções protéicas para alimentação dos idosos, além de açucar e café, que são produtos pouco doados”, ressalta. Ela tem renovado o agradecimento pelo apoio que vem recebendo da comunidade e disse que a mobilização de voluntários vai continuar.  
Por: Zé Carlinhos

Fórum debate o fortalecimento das Guardas Municipais da Bahia


O prefeito Newton Lima fez na manhã desta última sexta-feira (29) a abertura oficial do III Fórum Baiano de Segurança Pública Municipal, evento realizado no auditório do Fórum Epaminondas Berbert de Castro, localizado na avenida Osvaldo Cruz, em Ilhéus. 

A iniciativa, que reuniu diversas autoridades civis e militares, também marcou a realização do II Encontro das Guardas Civis Municipais da Bahia e do I Encontro de Comandantes de Guardas Municipais e Gestores Municipais de Segurança. 

A organização do evento, que terminou por volta das 17 horas, foi do Sindicato dos Guardas Civis do Estado da Bahia (Sindguardas-Bahia) e da Associação dos Guardas Municipais de Ilhéus (AGMI). Já o apoio institucional incluiu a Prefeitura de Ilhéus, Câmara de Ilhéus, Força Sindical e Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), entre outros. 

“Mais uma vez, reafirmo meu compromisso com a Guarda Municipal, instituição de grande importância para o fortalecimento da segurança pública como um todo”, declarou, na oportunidade, o chefe do Executivo ilheense. Por sua vez, o vereador e patrono da Guarda de Ilhéus, Jaílson Nascimento, disse que a história da Guarda Municipal de Ilhéus possui dois momentos: antes e depois do prefeito Newton Lima. “Naturalmente, ainda há muito a fazer. 

Mas, sem dúvida alguma, os avanços do setor na atual administração são significativos”, destacou o parlamentar. Fazendo coro com Jaílson, o presidente do Legislativo ilheense, vereador Edvaldo Nascimento (Dinho Gás), parabenizou o evento e colocou, mais uma vez, a Câmara à inteira disposição da entidade. Muito emocionado, o presidente do Sindguardas-Bahia, Pedro de Oliveira Santos, chamou atenção para os principais avanços obtidos pela corporação nos últimos tempos, garantindo a continuidade “deste trabalho para que a Guarda Municipal de Ilhéus possa atingir todos os seus objetivos”.

Também estiveram presentes no III Fórum Baiano de Segurança Pública Municipal o vice-prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre; o representante da Secretaria de Segurança, Transporte e Trânsito de Ilhéus, Clóvis da Silva; o presidente do Conselho Nacional das Guardas Municipais e comandante da GCM de Osasco (SP), Gilson Menezes, a delegada titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher, Regina Lopes; a juíza da Vara da Infância e Juventude de Ilhéus, Sandra Magali; o diretor executivo do Sindguardas-Ba, Aparício Souza; o guarda municipal e presidente da Câmara Municipal de Itapetinga, João de Deus; o diretor regional do Conselho de Segurança Pública do Estado, Fábio Santos, o coordenador de cursos do II BPM, Major PM Adriano de Araújo; e o diretor da Federação Baiana das Câmaras Municipais da Bahia, Reginaldo Oliveira, entre diversas outras autoridades civis e militares.

Durante todo o dia, o fórum debateu temas de grande importância para o setor, a exemplo da “Guarda Municipal como órgão de segurança”, a “Vara da Infância e Juventude e a parceria com as Guardas”, “O papel das Guardas como polícias comunitárias”, “A contribuição das Guardas para a Segurança Pública”, “O poder de polícia das Guardas Municipais e a sua competência” e a “Integração como meio de prevenção e de enfrentamento da criminalidade”. 

Finalidades - Segundo o presidente do Sindguardas-Ba e diretor da Força Sindical do Estado, Pedro de Oliveira Santos, o III Fórum Baiano de Segurança Pública Municipal serviu para a consecução de várias finalidades, entre elas: discutir os instrumentos de mobilização da comunidade para a sua segurança; difundir entre os organismos representativos sociais os principais conceitos que norteiam a eficácia dos serviços de uma Guarda Municipal; debater as formas de atuação da entidade; apresentar soluções para evolução de suas atividades, bem como para a harmonia nas relações travadas com as demais instituições de segurança pública; e, por fim, levantar as alternativas             de planejamento e de execução da segurança municipal como um todo.
Ascom/Ilheus
 

Veja as considerações do Deputado Estadual Cel Gilberto Santana, documento a nós encaminhado por seu assessor executivo para o Sul da Bahia Francisco Carlos (Chico):

Sr Editor:
            Num primeiro momento, encaminho a minha frequência em relação aos trabalhos legislativos. Fui eleito para debater os problemas da Bahia na Assembléia Legislativa e sempre estou presente aos trabalhos que seja em plenário, quer seja nas comissões em que sou titular como a de Saúde e Saneamento; Direitos Humanos e Segurança Pública;  Especial de Assuntos Territoriais e Emancipação e, finalmente, Especial do Porto Sul ou suplente, como a de Agricultura e Política Rural. Também tenho participado ativamente da vida parlamentar apresentando projetos, moções, indicações. Tanto a minha frequência quando o teor da minha atuação parlamentar podem ser conferidos no site da Assembléia Legislativa (www.al.ba.gov.br) nos links frequência ou proposições.

            Portanto, como parlamentar, cumpro com as minhas obrigações, ao contrário de deputados que chamam os outros como desocupados e que aparecem muito pouco na Casa para trabalhar. Felizmente, como sou um parlamentar ocupado demais para dar atenção as detratações alheias, passo a tratar de um assunto polêmico e que tive coragem de propor o debate, porque essa é a minha função como parlamentar. Não me escudo no mandato para agradando a um ou outro, mas para propor o debate e fazer valer a vontade da maioria.

            Venho tratando de um assunto polêmico que a questão da divisão territorial, especificamente das terras de Ilhéus, Itabuna e Coaraci. Estou propondo o debate, depois de ser procurado por lideranças políticas, empresariais e moradores das regiões envolvidas, para a possibilidade da mudança da fronteira de Ilhéus e Itabuna, e de Ilhéus e Coaraci como determina a lei estadual 12.050 (anexo), sancionada em 07 de janeiro deste ano pelo governador Jaques Wagner a fim de corrigir as anomalias territoriais como estas.

            No primeiro caso, a fronteira do município de Ilhéus hoje se encontra dentro da cidade de Itabuna. Não estamos tratando de uma divisa numa área rural, afastada, mas cortando a cidade de Itabuna. A região em questão é onde se situam dois empreendimentos comerciais que hoje estão no território ilheense. Eles ficam muito mais próximo de Itabuna – há cerca de 800 metros – do que dos 22 km que os separam de Ilhéus. Como todos os benefícios municipais, como coleta de lixo, iluminação pública, conservação asfáltica e de infraestrutura são feitos pela cidade mais próxima, propus o debate sobre a alteração dos limites territoriais. 

            Fui mais além, quando a comunidade de Salobinho, em Ilhéus, utiliza-se dos mesmos serviços - também devido a proximidade maior – de Itabuna. Neste caso específico, sugeri o debate e estou propondo, caso a sugestão venha prosperar, que se realize um plebiscito para saber se é da vontade da população permanecer pertencendo a Ilhéus ou passar definitivamente ao atendimento de Itabuna. São duas questões distintas: a da divisa de Ilhéus dentro de Itabuna e a da população de Salobinho, apesar de tratarem da mesma fronteira. A diferença seria a sua extensão mais próxima a Itabuna ou mais distante deste centro.

            Muitos interpretaram minha proposição como forma de beneficiar Itabuna, por prováveis pretensões políticas futuras. Isso é fruto de quem não tem argumentos sólidos para contra argumentar. Até porque, também estou debatendo a situação de Inema, mais próximo da cidade de Coaraci e, portanto recebendo toda assistência desta cidade do que da prefeitura de Ilhéus. 

            O que dirão aqueles que sequer tem coragem de debater? Que tenho pretensões eleitorais também em Coaraci? Ou que estou seguindo a lógica territorial? Porque não debater? Porque vão continuar atuando como fizeram em relação as questões do Porto Sul, que nem deram ouvidos aos ambientalistas e só defendem este empreendimento, mesmo, talvez, sendo prejudicial a cidade de Ilhéus, por ser investimento federal? Temem o que? Ter a insatisfação popular revelada em um debate sério, franco e aberto?

            Mais uma vez, estou tendo a coragem de propor o debate, utilizando-me de argumentos concretos que fazem parte de minhas atribuições como homem, cidadão e parlamentar e sem partir para as agressões pessoais ou ilações contra quem quer que seja. Meu dever é propor o debate, as discussões e colocar para a sociedade, de forma democrática, transparente e republicana ver se essa é a vontade da maioria. Portanto, vamos debater, vamos discutir ou não, se essa também for a vontade da maioria. O que não podemos é enterrar a cabeça na areia e nos acovardarmos diante da insatisfação de alguns, diante do desejo da maioria!

Deputado Estadual Coronel Gilberto Santana

Foto: arquivo