Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio natural. Não jogue lixo em seu leito.

quinta-feira, 10 de março de 2011

PAULINHO DA FORÇA É CONDENADO


A impunidade  vergonhosamente campeia nas hostes governistas desde o dia que o PT assumiu o poder, com Lulla na Presidência. 

Com sua saída, alguns aliados começaram a querer “criar asas”, como o Deputado Federal por São Paulo, Paulinho da Força. Mas isso não vai prosperar. A durona ex-guerrilheira Dilma Roussef, não vai permitir que a manada estoure.

A prova disso é a condenação do nobre, ínclito e impávido líder pedetista Paulinho da Força.

É bom lembrar, que o deputado Paulinho da Força (PDT-SP) tem uma série de antecedentes nada abonadores. Entre os anos 2007/10, foi acusado em 1 ação penal, 5 inquéritos e uma petição pelos crimes de estelionato, crime contra a fé pública, peculato, fraude em licitação e crime eleitoral.

*Acusações contra Paulo Pereira da Silva: Ação Penal 421 – Data de entrada no STF: 25/04/2007 Acusações: estelionato, crimes contra a fé pública. Inquérito 2905 – Data de entrada no STF: 02/02/2010 Acusações: peculato (crime de funcionário público contra o patrimônio público). Inquérito 2839 – Data de entrada no STF: 07/08/2009. Acusações: fraude em licitações. Inquérito 2778 – Data de entrada no STF: 09/12/2008 Acusações: fraude em licitações. Inquérito 2725 - Data de Entrada no STF: 28/05/2008 Acusações: segredo de justiça. Pet 4722 – PETIÇÃO – Data de Entrada no STF: 04/12/2009 Acusações: crime eleitoral.

O mais rumoroso de todos foi o esquema de desvios do BNDES, citado na  Operação Santa Tereza da Polícia Federal, que  descobriu o envolvimento de  11 empresários, advogados, servidores públicos   em um esquema de desvio de verbas do BNDES, no dia 24 de abril de 2008, quando ele, que além de deputado era  presidente da Força Sindical,  foi filmado pela PF ao lado de seu amigo e ex-assessor João Pedro Moura. Em grampos, o grupo fala da “parte de Paulinho”.

Mas na época o deputado era um firme aliado do governo, um forte cabo eleitoral para as eleições presidenciais, por isso em dezembro de 2008 foi absolvido pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara das acusações de desvio de verbas do BNDES. A reunião durou menos de uma hora. Por dez votos a quatro, o conselho decidiu rejeitar o parecer do deputado Paulo Piau (PMDB-MG), que recomendava a cassação de Paulo Pereira nas representações oferecidas pela Corregedoria da Câmara e pelo Psol.

Mas a bonança passou e Paulinho deu a  entender que se achava injustiçado pela divisão do bolo, como  estava sendo feito por Dilma Rousseff , ao afirmar: “Dilma rompeu com o que Lula vinha fazendo”.

A gota d’água parece ter sido uma entrevista que o deputado deu a Terra Magazine em  (1/3/2011), quando respondendo a uma pergunta feita pela jornalista Marcela Rocha, sobre a insatisfação que Líderes do PT estavam demonstrando contra ele, a resposta dele foi contundente e chula: Eles vão ficar ainda mais insatisfeitos então. Nós não vamos mudar as nossas opiniões porque eles estão insatisfeitos. O PDT tem um programa histórico, sempre defendeu os direitos dos trabalhadores, e se o PT abandonou os trabalhadores, a culpa não é nossa. Manda o PT se foder. Estou de saco cheio deles já”. 

Agora seu castigo chegou: abandonado pelo Palacio do Planalto, foi condenado pela Justiça Federal em Ourinhos, no interior de São Paulo, por improbidade administrativa. Ele foi considerado culpado por usar dinheiro público para um projeto de reforma agrária inviável. Terá de pagar, junto com outros quatro réus, multa de cerca de R$ 1 milhão, por determinação do juiz João Batista Machado.

Afora a multa, Paulinho foi proibido pelo magistrado de contratar com o poder público por cinco anos. O que será um descanso para os cofres públicos. Mas permanece com seu mandato, pronto para servir a seu (sua) dono(a), pois como diz o ditado gaiato: "manda quem pode, obedece quem tem juizo".


 Textos de apoio: Fausto Macedo e Giulio Sanmartini


Nenhum comentário: