Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

sábado, 18 de dezembro de 2010

OS MISERÁVEIS

Adicionar legenda
A presidente eleita, Dilma Rousseff, não terá dificuldade para encontrar a pobreza absoluta que ela prometeu erradicar até o fim do mandato, como um dos principais compromissos da campanha. Quase 5,3 milhões de famílias - a grande maioria dos brasileiros que permanecem na condição de miseráveis - já são beneficiárias do programa Bolsa-Família, de transferência de renda.

O valor pago mensalmente pelo Bolsa-Família, que varia de R$ 68 a R$ 200 para as famílias que vivem em pobreza mais aguda, não é suficiente para pouco mais de 40% dos atendidos pelo programa superarem a miséria.

A condição de pobreza extrema é definida pela renda de até R$ 70 mensais por pessoa da família, segundo as regras do programa; miseráveis são pessoas que vivem com renda de até R$ 2,30 por dia.
O número de famílias que permanecem na extrema pobreza apesar de receberem o benefício do Bolsa-Família aparece em levantamento inédito do Ministério do Desenvolvimento Social, feito a pedido do Estado.

Nos últimos anos, o ministério vinha se recusando a divulgar esse tipo de informação.
Entre as 12,7 milhões de famílias beneficiárias do Bolsa-Família, 7,4 milhões (58%) encontram-se na faixa de renda entre R$ 70 e R$ 140 mensais por pessoa da família. Dessas, 4,4 milhões (35% do total dos beneficiários) superaram a condição de extrema pobreza com o pagamento do benefício. Mas ainda restam 5,3 milhões (42%) de miseráveis no programa.

Acabar com a extrema pobreza entre os beneficiários do Bolsa-Família significaria ter de mais do que dobrar o valor do benefício básico, de R$ 68, pago apenas às famílias que têm renda per capita de até R$ 70. “O piso do benefício teria de ir para R$ 138”, calcula Lúcia Modesto, secretária de Renda de Cidadania do ministério, responsável pelo programa.

A média dos pagamentos, hoje em R$ 96 mensais, também teria de aumentar. O impacto nas contas públicas seria um gasto extra de R$ 8 bilhões, segundo estimativa preliminar. “Está muito acima das nossas possibilidades”, disse a secretária.

A presidente eleita recorrerá a uma medida provisória, no início do mandato, para fixar reajuste nos pagamentos do Bolsa-Família. Um reajuste acima da inflação acumulada, de cerca de 9%, está em estudo, conforme antecipou o Estado. Mas a possibilidade de pagar um benefício que elimine imediatamente a extrema pobreza entre os beneficiários nem sequer é considerada.

Uma das ideias em estudo é estabelecer uma política de reajustes para o Bolsa-Família, como acontece com o salário mínimo. Atualmente, eventuais reajustes dependem da vontade do presidente da República.
O último reajuste do Bolsa-Família se deu em maio de 2009. Desde então o programa paga entre R$ 22 e R$ 200. O valor varia de acordo com o grau de pobreza e o número de crianças e jovens em idade escolar das famílias. Nada recebem aquelas que não são consideradas extremamente pobres nem têm filhos até 17 anos. O Orçamento de 2011, enviado ao Congresso sem previsão de reajuste, autoriza gastos de R$ 13,4 bilhões com o programa.


Aumentar o valor do benefício do Bolsa-Família é uma receita óbvia para erradicar a extrema pobreza no País. Outra medida apontada como inevitável é garantir o acesso ao programa das cerca de 230 mil famílias pobres ainda não cadastradas, de acordo com estimativa do Desenvolvimento Social.

No documento lançado no segundo turno das eleições presidenciais, com os “compromissos programáticos”, a então candidata Dilma Rousseff prometeu erradicar a pobreza absoluta. Esse é o compromisso número 5, de uma lista de 13.
O texto petista não detalha a estratégia a ser adotada, mas destaca o crescimento econômico, a expansão do emprego e da renda e a valorização do salário mínimo, antes de falar do Bolsa-Família.

*Informações do jornal Estado de São Paulo Online

POR FAVOR, MAIS RESPEITO COM JUSCELINO KUBITSCHEK

Por Augusto Nunes - Veja Online

O presidente Juscelino Kubitschek foi o que o brasileiro gostaria de ser. O presidente Lula é o que a maioria dos brasileiros é. Incapaz de folhear biografias, sem paciência nem disposição para estudar a História do Brasil, Lula não faz ideia de quem foi o antecessor. Mas gosta de comparar-se a JK. Primeiro, apresentou-o como exemplo a seguir. Não demorou a descobrir-se, como reiterou no fim de semana, bem superior ao modelo (e infinitamente melhor que todos os outros).


Sedutor, inventivo, culto, cosmopolita, generoso, amante do convívio dos contrários, Juscelino não gostaria de ser comparado a um chefe de governo falastrão, gabola, provinciano, que odeia leituras, inclemente com adversários, a quem culpa por tudo, e misericordioso com bandidos de estimação, a quem tudo perdoa.  

Ambos nasceram em famílias pobres, ultrapassaram as fronteiras impostas ao gueto dos humildes e alcançaram o coração do poder. Esse traço comum abre a diminuta lista de semelhanças, completada pela simpatia pessoal, pelo riso fácil e pela paixão por viagens aéreas. Bem mais extensa é a relação das diferenças, todas profundas, algumas abissais.


O pernambucano de Garanhuns é essencialmente um político: só pensa nas próximas eleições. O mineiro de Diamantina foi um genuíno estadista: pensava nas próximas gerações. Lula ama ser presidente, mas viveria em êxtase se pudesse ser dispensado de administrar o país. Bom de conversa e ruim de serviço, detesta reuniões de trabalho ou audiências com ministros das áreas técnicas e escapa sempre que pode do tedioso expediente no Palácio do Planalto. JK amava exercer a Presidência, administrava o país com volúpia e paixão ─ e a chama dos visionários lhe incendiava o olhar ao contemplar canteiros de obras que Lula visita para palavrórios eleitoreiros. Lula só trata com prazer de política. JK tratava também de política com prazer.

O país primitivo dos anos 50 pareceu moderno já no dia da posse de JK. Cinco anos depois, ficara mesmo. O otimista incontrolável inventou Brasília, rasgou estradas onde nem trilhas havia, implantou a indústria automobilística, antecipou o futuro. Cometeu erros evidentes. Compôs parcerias condenáveis, fechou os olhos à cupidez das empreiteiras, não enxergou o dragão inflacionário. Mas o conjunto da obra é amplamente favorável. Com JK, o Brasil viveu a Era da Esperança.

O país moderno deste começo de milênio pareceu primitivo no momento em que Lula ganhou a eleição. Seis anos e meio depois, ficou mesmo. As grandezas prometidas em 2002 seguem estacionadas no PAC. As estradas federais estão em frangalhos. A educação se encontra em estado pré-falimentar. O sistema de saúde é lastimável. A roubalheira federal atingiu dimensões amazônicas. Mas Lula está bem no retrato, reiteram os institutos de pesquisa.

Talvez esteja. Primeiro, porque milhões de brasileiros inscritos no Bolsa-Família são gratos ao gerente do programa que os reduziu a dependentes da esmola federal. Depois, e sobretudo, porque o advento da Era da Mediocridade tornou o país mais jeca, mais brega, muito menos exigente, muito menos altivo.

Nos anos 50, o governo e a oposição eram conduzidos pelos melhores e mais brilhantes. O povo que sabia sonhar sabia também escolher melhor. Mereceu um presidente como JK. No Brasil de Lula, mandam os medíocres. O grande rebanho dos conformados tem o pastor que merece.

A mulher que se achava filha de Getúlio e o homem que se acha pai do Brasil Maravilha

 “Vim buscar a chave do Banco do Brasil”, comunicava a mulher negra e miserável que aparecia de vez em quando na minha casa em Taquaritinga.

Eu tinha menos de 10 anos e era filho do prefeito. Ela tinha pouco mais de 40 e decidira que era filha de Getúlio Vargas, de quem havia herdado o banco estatal.

Só fiquei intrigado na primeira visita. Nas seguintes, até tentei esticar a conversa com a doce maluca antes de fazer o que minha mãe ordenara: devia recomendar-lhe que resolvesse o problema com meu irmão mais velho, funcionário da agência local.

Pacientemente, Flávio explicava que não podia entregar a chave sem conferir a certidão de nascimento. A órfã do presidente prometia buscá-la no cartório. Três ou quatro meses mais tarde, lá estava ela no portão para a reprise do ritual.

Lembrei-me da doida mansa com quem contracenei na infância ao saber que o presidente Lula registrou em cartório um Brasil imaginário. É uma Pasargada retocada pelo traço de Oscar Niemeyer. Tem trem-bala, aviões pontuais como a rainha da Inglaterra, rodovias federais de humilhar alemão, casa e luz para todos, três refeições por dia para a nova classe média, formada pelos pobres de antigamente. Quem quiser ver mendigo de perto deve voar até Paris e sair à caça de algum clochard. A transposição das águas do São Francisco erradicou a seca e transformou o Nordeste numa formidável constelação de lagos, represas e piscinas. Os morros do Rio vivem em paz e quem mora nas favelas do Alemão não troca o barraco por nenhum apartamento de cobertura no Leblon.

No país do cartório, o governo não rouba nem deixa roubar, o mensalão é coisa de Fernando Henrique Cardoso, os delinquentes engravatados foram presos pela Polícia Federal, os ministros são honestos, os parlamentares servem à nação em tempo integral e o presidente da República cumpre e manda cumprir cada um dos Dez Mandamentos.

Lula fez em oito anos o que os demais governantes não fizeram em 500.  A superexecutiva Dilma Rousseff precisa acautelar-se para não exagerar na eficiência: se melhorar, estraga.

Daqui a alguns anos, é possível que um filho do prefeito de São Bernardo do Campo tenha de lidar com um homem gordo, de barba grisalha, voz roufenha e o olhar brilhante dos doidos de pedra, querendo que a paisagem real seja substituída pela maravilha registrada no cartório.

A cobrança da filha de Getúlio tropeçava na falta da certidão de nascimento que o pai do novo Brasil acaba de providenciar.

Depois de repetir que governou a República, ele vai reclamar o que lhe pertence sobraçando um calhamaço cheio de selos, carimbos, rubricas e assinaturas.

“Nada é impossível neste país”, deu de repetir Lula ultimamente. Nada mesmo. É possível até um ex-presidente acabar trepado num caixote, na praça principal de São Bernardo, exigindo aos berros a existência de um Brasil que inventou.

Publicado em: http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/

E NÓS PAGAMOS A CONTA

O jornal Zero Hora informa que a ex-terrorista DiLLma Roussef abrirá um escritório da Presidência no centro de Porto Alegre, onde despachará quando estiver no Rio Grande do Sul, e também está procurando uma casa na zona sul da capital gaucha, entre os bairros Tristeza e Assunção, próxima à casa da filha deLLa , Paula Rousseff, que abrigará por quatro anos, os responsáveis por sua segurança quando ela estiver no Rio Grande do Sul.

A história se repete:

LuLLa, para garantir as mordomias de Lurian, tais como seguranças, motoristas e mais sete automóveis, abriu um escritório presidencial em Florianópolis, onde jamais assinou um autógrafo. Fez o mesmo para tomar conta do outro filho e dos seus bens em São Bernardo do Campo, para onde ia aos finais de semana e de onde jamais despachou, pois as visitas sempre foram para comícios e cachaçadas.

Além disso, também tinha um escritório em São Paulo, usado pouquíssimas vezes, que também botava a presidência a serviço do Lulinha, aquele que da noite para o dia transformou-se de funcionário do zoológico de São Paulo em $ócio da Telemar/Oi.

Agora DiLLma já escolhe local para instalar um escritório em Porto Alegre, conforme informa Zero Hora. Vai botar a infra-estrutura presidencial a serviço da filha, do genro, do neto e até do ex-marido, Carlos Araújo, dotando-os de todas as mordomias.

 É justo. Afinal, com a falta de segurança que acomete todos os brasileiros, ela tem que pensar na famiglia..

E O TRABALHADOR QUE SE DANE !

Cada senador poder custar até R$ 2,034 milhões milhões por ano; deputado, R$ 1,564 milhão

 

Por Henrique Gomes Batista, no Globo:

Com o aumento salarial aprovado pelos próprios parlamentares na quarta-feira , o custo de cada um dos 81 senadores já ultrapassa R$ 2 milhões, por ano. Já o gasto anual de se manter um deputado federal varia entre R$ 1,4 milhão e R$ 1,6 milhão. Na conta não entra apenas o novo subsídio - de R$ 26.703,10 -, mas também diversos benefícios e verbas indenizatórias. 

Além disso, os deputados recebem 15 salários por ano e, os senadores, 14, aumentando o valor final.  O número também leva em conta o parlamentar que usa integralmente todos os benefícios a que tem direito, como auxílio-moradia - pago àqueles que não ocupam os apartamentos funcionais - e verbas compensatórias, como ressarcimento para gastos nos escritórios políticos nos estados ou despesas de combustíveis. Não entram no cálculo despesas que não têm valor estabelecido, como serviços de correio, assinaturas de jornais, revistas e TV por assinatura, além do uso da gráfica do Congresso.

Em média, cada senador custa, por mês, algo entre R$ 129.858,12 e R$ 169.524,28, (ou 255 e 322 salários mínimos) respectivamente. 

A diferença ocorre porque algumas verbas, como passagens aéreas, variam de acordo com o estado de origem do parlamentar. Outros valores, como o limite para gasto com telefonia fixa, dobra se o senador for líder partidário. Assim, caso o senador utilize todos os benefícios que tem direito, seu custo anual ficará entre R$ 1,558 milhão a R$ 2,034 milhões.  

O principal custo mensal de um senador é a verba de gabinete, que varia entre R$ 80 mil a R$ 100 mil mensais. O valor é determinado como base para se contratar nove servidores de carreira e 11 comissionados. Entretanto, o valor é livre e muitos parlamentares dividem os salários para contratar mais funcionários, até o limite de 79 pessoas.

Na Câmara, os custos são relativamente menores que no Senado: um deputado que usa todos os seus benefícios custa, por mês, algo entre R$ 119.378,87 e R$ 130.378,87 - o que daria para construir duas casas populares na grande São Paulo. Por ano, a conta varia entre R$ 1,432 milhão e R$ 1,564 milhão.  

Os deputados contam, desde o ano passado, com uma única cota para exercício de atividade parlamentar, o chamado “cotão”, que unificou verbas para passagens aéreas e telefonia, por exemplo. O valor do “cotão” varia entre R$ 23 mil e R$ 34 mil. Mas o que torna o “preço” dos deputados mais barato que a média dos senadores é que recebem um auxílio-moradia R$ 800 menor e a verba de gabinete é de R$ 60 mil - de R$ 20 mil a R$ 40 mil a menos que no Senado.

*Comentário de um Professor, que prefere o anonimato:

"Se eu pensasse menos teria feito a letra da música Florentina , hoje estaria na capa de todos os jornais com salário garantido... E eu continuo aqui pensando... Lula representando o poder máximo do país e Tiririca a voz do Parlamento explicam nossa condição de país "exótico" . Ou seria "primitivo" ? "



CÂMARA DOS DEPUTADOS:lugar de palhaços e ladrões

 A Câmara dos Deputados se transformou num verdadeiro antro; num lugar proibido para menores; num ambiente onde campeia tudo que é pernicioso, ruim, imoral. Além disso, em uma casa do escracho, da galhofa, da piada pronta.

Lá você encontra gente que responde processos por vários tipos de crimes. E deputados que defendem o crime organizado e lutam por criminosos, como no caso dos bingos. Até gente que já foi condenada, e que deveria estar atrás das grades.

E não venham dizer que é culpa da justiça unicamente. Os maiores culpados são os eleitores.

Depois que Paulo Maluf foi liberado, agora o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liminar para que Natan Donadon (PMDB-RO) seja diplomado deputado federal.

Esse cidadão recentemente foi condenado a 13 anos de prisão por formação de quadrilha e peculato, havia tido o registro negado por estar enquadrado na Lei da Ficha Limpa.


O ministro entendeu que, ao negar o registro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) transgrediu a garantia fundamental da presunção de inocência ao campo dos direitos políticos, que abrangem o direito de votar e o direito de ser votado.

Donadon, que é deputado federal pelo Estado de Rondônia, conseguiu se reeleger com 43.627 votos, foi o quinto candidato a deputado federal mais votado daquele estado.

O político foi condenado à prisão, em regime inicialmente fechado, no dia 28 de outubro, também pelo Supremo, acusado de desviar mais de R$ 8 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia entre os anos 1995 e 1998, quando foi diretor financeiro da instituição. Segundo a decisão, ele terá que restituir aos cofres estaduais R$ 1,6 milhão.

O Ministério Público Eleitoral de Rondônia impugnou o registro de Donadon nas eleições deste ano pelo fato de o deputado já ter duas condenações no Tribunal de Justiça do Estado por ato de enriquecimento ilícito, peculato e formação de quadrilha.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

PARLAMENTARES BRASILEIROS SÃO VERDADEIROS MARAJÁS

O aumento aprovado pelos congressistas brasileiros aos seus próprios salários, na quarta-feira, deixa os vencimentos básicos de deputados e senadores do país 8% maiores do que os dos congressistas americanos e 84% maior do que os dos britânicos, segundo um levantamento feito pela BBC Brasil.

A decisão aprovada no Congresso brasileiro elevou os salários dos deputados e senadores em 62%, de R$ 16,5 mil para R$ 26,7 mil, a partir de fevereiro de 2011. Os salários do presidente, do vice e dos ministros também serão elevados.

Segundo dados do Parlamento britânico, cada um dos 650 deputados da Câmara dos Comuns recebe um salário básico equivalente a 5.478 libras por mês (cerca de R$ 14.541).
Nos Estados Unidos, deputados e senadores recebem um salário básico equivalente a US$ 14.500 por mês (cerca de R$ 24.700).

Os salários dos congressistas brasileiros também ficarão quase seis vezes mais altos do que os de seus pares argentinos. Os deputados do país vizinho ganham um salário básico mensal de 10.600 pesos (cerca de R$ 4.540), enquanto os senadores recebem cerca de 16 mil pesos mensais (R$ 6.850).
Comparações

Um levantamento comparativo preparado pelo Parlamento britânico em 2007 mostra os vencimentos dos congressistas de países como Austrália, Canadá, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Espanha e Suécia.

Segundo o levantamento britânico, que incluiu também dados da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos, em 2007 os deputados e senadores americanos eram os que tinham os maiores vencimentos entre esses países, seguidos pelos italianos, que tinham salários equivalentes a R$ 22.350 mensais.

Na outra ponta, a Espanha tinha os menores salários de parlamentares em 2007 - o equivalente a R$ 6.466 mensais, seguida de Suécia (R$ 9.469) e Noruega (R$ 9.649).
O aumento concedido pelos congressistas brasileiros aos seus próprios salários não supera, em termos proporcionais, a elevação aprovada em agosto para os vencimentos dos parlamentares indianos, de mais de 200%.

Ainda assim, a triplicação dos salários dos parlamentares indianos elevou-os para 50 mil rupias mensais, ou o equivalente a R$ 1,8 mil mensais.



Militantes gays reafirmam que querem censurar cristãos

Em matéria publicada no site gay Mundo Mais no final de outubro, o presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), Toni Reis, expõe os planos da militância gayzista a partir dos resultados das eleições de 2010. Ele avalia o novo quadro político e se mostra confiante no sucesso dos projetos gayzistas com a eleição de Dilma Rousseff (PT).

É interessante observar o cinismo nos discursos de Dilma e Toni Reis, que dizem “não querer prejudicar ninguém” e, “bondosamente”, até aceitam que religiosos possam falar de homossexualismo, mas só dentro das igrejas, como se isso fosse uma grande liberdade que eles estivessem concedendo aos cristãos.
A matéria com Toni Reis, figura atuante no lobby gay junto ao Governo e Congresso Nacional, acrescenta que religiosos não devem poder se expressar publicamente sobre o homossexualismo, muito menos nos meios de comunicação, citando o exemplo do Pr. Silas Malafaia, o qual a militância gay freqüentemente rotula como “homofóbico” e cujo programa “Vitória em Cristo” a ABGLT já tentou censurar anteriormente, além de ter solicitado ao Conselho Federal de Psicologia (CFP) punição para o pastor, que é também psicólogo.
Para enganar incautos, Toni Reis, Dilma Rousseff e companheiros gayzistas fingem “amaciar” o PLC 122, dando autorização para que religiosos se expressem, mas apenas dentro de suas igrejas, e olhe lá. Nada de cristãos abrindo o bico fora dali.
Mas as avenidas e praças públicas, escolas, TVs, rádios, jornais, além de todo o aparato estatal, permanecerão à inteira disposição dos militantes gays para fazerem propaganda de seu estilo de vida e de sua ideologia, inclusive contra os cristãos, como já vem acontecendo há bastante tempo.
Em resumo: Liberdade de expressão? Só para a militância homossexual. Censura para os religiosos e todos mais que contrariarem a agenda gay.
Continuam, espertamente, confundindo Estado laico com Estado anti-cristão — ou Estado gay. E transformando a democracia em homocracia.

LIXO RECICLÁVEL

Os catadores de lixo reciclável do município de Itacaré, a 436 quilômetros de Salvador, já podem trabalhar com mais segurança. Na noite de quinta-feira (16), foram entregues na Câmara de Vereadores de Itacaré 60 kits de equipamento de proteção individual (EPI).

A ação é parte do projeto que a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com a prefeitura de Itacaré, realiza para reverter a situação dos catadores, capacitando-os para o trabalho profissional de reciclagem e implantando a coleta seletiva por meio da organização de uma cooperativa.

“Além do viés social, a iniciativa da Setre tem como objetivo contribuir na preservação do ambiente urbano do município, através de campanhas de educação ambiental e conscientização da comunidade sobre a importância da adesão à coleta seletiva”, afirmou o superintendente de Economia Solidária, Helbeth Oliva.

Dentro do projeto, a prefeitura de Itacaré vai construir um galpão e comprar um caminhão para a coleta seletiva. À Setre caberá disponibilizar maquinário, fardamento, formação do pessoal e material de divulgação.

VIVA DILLMA !!

O salário mínimo está subindo 5,08%. Pouco mais de R$ 1 de aumento real. O salário da DiLLma está subindo 133,9%, para uma inflação de menos de 20% depois da última atualização.

O salário mínimo será de R$ 540. O salário da Dillma será de R$ 26,7 mil, mais cartão corporativo secreto. Junto com o salário da Dilma, sobem os salários dos deputados, senadores e ministros.

Também dos ex-presidentes Sarney, Itamar, Collor,  FHC e LuLLa. Sobrou alguém para reclamar? Só os babacas bombeiros e babacas policiais militares, que ficaram sem a prometida PEC 300, mesmo votando em peso na Dillma.

E também os "aposentados", que não precisam de dinheiro, pois não fazem nada, no entendimento de LuLLa, DiLLma, Deputados e Senadores.

E para terminar com chave de ouro, os governadores eleitos do PSDB decidiram que não vão fazer oposição.

Prova para futuros médicos só aprova 16% em SP

17 de dezembro de 2010 - 9h 33
AE - Agência Estado

Apenas 16% dos 533 formandos em Medicina que fizeram o último exame do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) foram aprovados. Embora o desempenho na primeira fase tenha sido ligeiramente superior ao do ano passado (a aprovação passou de 40% para 57%), o índice de reprovação na segunda fase subiu de 4% para 68% - pior resultado desde a criação da prova. Além disso, a média geral em áreas básicas, como Clínica Médica e Obstetrícia, ficou abaixo da nota de corte (60%).

Para Braulio Luna Filho, coordenador do exame, a piora pode ser explicada pela mudança no perfil dos participantes e das questões de segunda fase. Neste ano, houve menor adesão dos formandos de escolas mais tradicionais. "A prova também teve grau de dificuldade maior", diz. Apesar das ressalvas, o vice-presidente do Cremesp, Renato Azevedo, considera o resultado preocupante. "A prova exige o mínimo de conhecimento que alguém que quer exercer a Medicina precisa ter."

Os resultados mostram que a maioria desconhece diagnóstico e tratamento de problemas comuns, como sífilis, tuberculose e doenças cardíacas. O Cremesp os atribui à abertura indiscriminada de cursos, muitos sem infraestrutura. E defende um exame nacional unificado e obrigatório, sem o qual o médico não obteria licença. "Ninguém é reprovado nas faculdades de Medicina. Mesmo quem não tem condições técnicas e humanas."

Embora o presidente da Associação Paulista de Medicina, Jorge Curi, concorde com a necessidade da criação de uma avaliação, ele defende que ela ocorra ao longo de todo o curso. "Não dá para, depois de a família gastar uma fortuna, você simplesmente dar a notícia de que o estudante não pode ser médico."

Para o coordenador de Ensino e Graduação do curso da Unicamp, Wilson Nadruz Júnior, os resultados do exame do Cremesp não representam a qualidade do ensino de Medicina em São Paulo. "Contrariam o desempenho que observo nas provas de seleção para residência, que é muito bom. Além disso, é uma amostra pequena", diz. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A CASA CAIU

A promotora de Justiça de Itabuna, Thiara Rusciolelli, pediu ao juiz da Fazenda Pública de Itabuna, que seja aberta uma ação civil pública contra os vereadores Clovis Loiola, Presidente da Câmara; Roberto de Souza, 1º Secretário e Ricardo Bacelar, 2º Secretário. A medida se estende aos funcionários comissionados Kleber Ferreira, Eduardo Freire e Alisson Rodrigues.

Ela pede que todos sejam afastados provisoriamente e pede também a indisponibilidade dos bens das empresas Mozaico Fábica de Resultados ME, Vilma Suely Monteiro Gomes ME, DMS Serviços de Portaria Ltda, Robson Nascimento Silva ME e seus sócios proprietários.

A acusação é grave, ( desvio de dinheiro público entre 1 e 5 milhões de reais) e se provada, os vereadores além de perderem o mandado, podem ficar impedidos de concorrer a novas eleições por longos anos.
E legalmente pode dar até cadeira. Mas isso ninguém acredita. Pelo menos para os "nobres edis".

* Um antigo funcionário da Câmara de Vereadores de Itabuna, meio na galhofa, ao comentar a eleição de uma nova legislatura, disse:
 - "A Câmara lembra um antigo bloco do Rio de Janeiro, cujo nome era, Cada ano sai pior".
É triste constatar que a "profecia" desse funcionário vem se confirmando a cada nova legislatura.
Cada vez que a população elege uma nova Câmara, ela fica pior representada.

Quem teve o privilégio de ouvir um debate de alto nível intelectual entre Raimundo Lima x Edmundo Dourado x Flávio Simões x José Japiassú de Almeida x Valdenor Cordeiro e Josué Brandão, quando os detalhes dos projetos eram dissecados e os interesses populares eram defendidos com unhas e dentes, e hoje vai assistir a uma sessão do legislativo, quando os vereadores limitam-se a ficar sentados ou levantarem para aprovar ou não projetos, e onde as discussões são grotescas, na maioria das vezes de interesse próprio, tem a resposta para o que está acontecendo hoje no legislativo itabunense.

De um antigo e batalhador corpo funcional efetivo de 17 funcionários, que foi minguando com mortes e aposentadorias, sem que nunca houvesse um concurso público para preenchimento de vagas, a casa legislativa encheu-se de dezenas de comissionados, que ficam à mercê de "suas excelências", e por sem "comissionados", sem condições de denunciar nenhuma mazela.

Na verdade, o legislativo itabunense apequenou-se, para dizer o mínimo.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Governo ilheense segue preparando a cidade para o verão

O governo de Ilhéus continua trabalhando para preparar a cidade para a chegada do verão, estação que vai desta terça-feira (21) até o dia 20 de março de 2011. Cumprindo orientação do prefeito Newton Lima, várias pastas governamentais seguem adotando uma série de providências com o objetivo de deixar o município mais organizado. O pacote de medidas abrange a conclusão de algumas obras, algumas iniciadas no centro da cidade e em locais de grande movimentação.

Uma das medidas adotadas pelo governo foi a contratação temporária, através de seleção pública simplificada, de 40 novos salva-vidas para reforçar o trabalho de segurança nas praias de Ilhéus. Os novos salva-vidas, que estarão se juntando aos 35 efetivos, fortalecerão até março de 2011 um trabalho que vai da Ponta do Ramo, na praia no norte, até Águas de Olivença, na praia do sul. Uma terceira decisão para organizar ainda mais o município é a substituição, no centro da cidade e em vários outros pontos, de lâmpadas de mercúrio por lâmpadas de vapor metálico, que, segundo os técnicos, iluminam mais e consomem menos energia.

Durante reunião recente no Palácio Paranaguá, o prefeito recomendou ao secretário da Segurança, Transportes e Trânsito, Marcelo Barreto, um estudo sobre o trânsito e o tráfego no centro e na zona sul, com a finalidade de eliminar os engarrafamentos que ocorrem atualmente. Na oportunidade, o secretário lembrou que a frota de veículos de Ilhéus cresceu cerca de 30% em um ano, o que tem contribuído para criar alguns “gargalos”. Marcelo Barreto enfatizou, no entanto, que serão feitas algumas intervenções no trânsito, notadamente na praça Cairu, que recebe grande volume de tráfego. Outra informação do secretário deu conta de que os estacionamentos públicos também passarão por reordenamento, no sentido de facilitar a permanência das pessoas que pretendam vir às compras no centro da cidade.

Ainda na área do trânsito, o governo ressalta a importância da doação feita ao município pela Coelba de um lote de semáforos de leds. Este dispositivo, segundo os fabricantes, apresenta vantagens sobre a iluminação adquirida a partir de lâmpadas halógenas ou incandescentes. Entre elas, maior eficiência (fornece mais luz utilizando uma pequena corrente elétrica, o que também aumenta a economia), vida útil mais longa (cerca de 100 mil horas ou 11 anos) e redução significativa de manutenção preventiva.

Comércio informal – A organização das áreas públicas da cidade (passeios de ruas e praças) é outra ação que está sendo deflagrada pelas secretarias de Planejamento, Indústria e Comércio; Desenvolvimento Urbano; e Segurança, Transportes e Trânsito, em todo o centro de Ilhéus. A prefeitura vai fiscalizar essas atividades com equipe integrada, no sentido de adequar os espaços públicos aos que querem trabalhar. Obviamente, outra determinação do prefeito Newton Lima foi a intensificação dos chamados serviços essenciais, como a varrição de rua e a coleta de lixo domiciliar e comercial.
Por: Walmir Rosário
Çeia mais:

Seminário discute as estratégias para desenvolvimento econômico de Itabuna


 
Unir o setor público e iniciativa privada com o objetivo de discutir, propor e implementar estratégias para o desenvolvimento da indústria, do comércio, do segmento de serviços e do turismo,  foi o objetivo central de um seminário realizado hoje (15), no auditório da FTC, promovido pelo governo municipal através da Secretária de Indústria, Comércio e Turismo. A proposta visa consolidar Itabuna como um grande polo regional, beneficiando-se dos investimentos direcionados para o complexo intermodal que inclui a Ferrovia Oeste-Leste e o Porto Sul.
        Para o prefeito Capitão Azevedo, a ideia é aproveitar as potencialidades de Itabuna, maior centro urbano regional de comércio e serviços, através de uma articulação entre o governo municipal e a iniciativa privada. Destacou que a cidade já vem atraindo investimentos importantes em especial no setor da construção civil ao longo dos dois últimos anos e tem vários projetos em andamento na área federal para captação de recursos.
        Azevedo destacou ainda o papel do governo municipal como indutor do desenvolvimento ao direcionar investimentos em obras de infraestrutura e em projetos estruturantes: “Estamos aqui com humildade para discutir, ouvir e valorizar o que os empresários esperam para o desenvolvimento de Itabuna.”
Dificuldades
        Ele observou ainda, que em função da carência de recursos o município tem dificuldade de atender às demandas existentes e citou como exemplo exitoso, a construção da ponte do São Roque, que acabou resultando na abertura de mais um acesso para o semi-anel rodoviário, melhorando a mobilidade urbana e  atraindo um investimento de R$ 40 milhões para mil habitações através do Programa Minha Casa, Minha Vida.
        O prefeito destaca que como todas as cidades que tiveram crescimento explosivo e sem planejamento, Itabuna tem carências sérias de infraestrutura, o que implica a necessidade de construção da barragem de Itajú do Colônia, da implantação de um sistema de saneamento básico e de um plano de melhoria da malha viária, a exemplo do projeto de duplicação do trecho da BR 415 entre Itabuna-Ferradas, abrindo um vetor de crescimento urbano na zona oeste da cidade.
        Azevedo defendeu ainda a construção do Centro de Convenções, o que facilitaria o fortalecimento de turismo de eventos, outra vocação de inata para Itabuna, que precisa de novos espaços para sua expansão urbana. Lembrou que a cidade pode também usar o espaço do Centro Comercial de Itabuna, uma área central e valorizada para um mega empreendimento empresarial.
Parceria
        Ao destacar as participações de dirigentes do Sebrae, da ACI, da CDL, do Sindicom, Apemi, Ampesba, Grupo de Ação Comunitária e de outras entidades que se incorporaram à realização do seminário, o secretário Carlos Leahy destacou a necessidade de uma ação integrada da comunidade itabunense e do governo municipal para fortalecimento e expansão do comércio local, que continua atraindo investimentos.
        Leahy enfatizou ainda, a importância de discutir as expectativas do segmento empresarial ouvindo técnicos ligados ao comércio, ao turismo e à construção civil: “A questão não passa apenas pelo debate da relação entre o poder público e a iniciativa privada, mas pela discussão de ideias para o futuro e estratégias de ação para 2011 e 2012, fortalecendo Itabuna como polo de comércio e serviços, que atrai cada vez mais um número crescente de consumidores da região”
        O secretário defendeu ainda a formação de um comitê de empresários para implementar a execução de uma agenda a partir do seminário pois, “temos de pensar e trabalhar por Itabuna, bem acima dos limites partidários”.
        O seminário teve como palestrantes o coordenador regional do Sebrae, Renato Lisboa, enfocando o potencial do polo de Itabuna, seguido de Fernando Cairo, superintendente do Jequitibá Plaza Shopping falando do investimento de R$ 38 milhões para a sua expansão; além do consultor Ariel Figueroa, abordando  estratégias para o turismo de negócios e os engenheiros civis, Nilson Oliveira, da Runna; Jorge Midlej, da FM Construtora e José Cláudio Muniz, da WA Engenharia mostrando o desenvolvimento de um setor com potencial na geração de emprego e na dinamização da economia local e regional. 
Também foi exibido um filme com depoimentos de empresários e  lideranças sobre a ação da Secretaria de Industria, Comércio e Turismo   e os investimentos em projetos de negócios na área comercial e industrial.
Por: Kleber Torres - Fotos: Pedro Augusto 
Leia mais:
www.itabuna.ba.gov.br
 

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Portador de HIV teria sido curado após tratamento com células-tronco

Timothy Ray Brown recebeu transplante em 2007 como parte de um longo tratamento para a leucemia


O jornal The Huffington Post divulgou nesta terça-feira um possível caso de cura da aids. Médicos acreditam que um homem HIV positivo, que foi submetido a um transplante de células-tronco, não tem mais o vírus no organismo.

De acordo com a publicação, Timothy Ray Brown, recebeu o transplante em 2007 como parte de um longo tratamento para a leucemia. Os resultados do tratamento foram publicados recentemente na revista Blood, onde os médicos de Brown confirmam o sucesso da cura da infecção pelo HIV.

O caso de Brown abriria caminho para o desenvolvimento de uma cura definitiva para o HIV através de células-tronco geneticamente modificadas. Na semana passada, a revista Time nomeou outra descoberta a sua lista dos Top 10 Avanços Médicos de 2010. Estudos recentes mostram que os indivíduos saudáveis que tomam anti-retrovirais, medicamentos comumente prescritos para tratar o HIV, podem reduzir seu risco de contrair a doença em até 73%.

"Embora os resultados não consigam provar definitivamente que a cura para o vírus foi descoberta, eles certamente podem dar esperança para os mais de 33 milhões de pessoas vivendo com HIV no mundo", diz o jornal.

CONSELHO ENTREGA OFÍCIO AO PREFEITO

Nilza e Ornam dois incansáveis pela causa dos idosos
O Conselho do Idoso fez entrega ao prefeito Capitão Azevedo, de um ofício, no qual relata algumas de suas ações e mostra, claramente, o descaso do Secretário de Assistência Social, para com o Órgão.

No documento, a Presidente Nilza Coutinho salienta que ao Secretário de Assistência Social “compete coordenar as atividades da proteção à pessoa idosa, aos carentes, portadores de necessidades especiais, etc. E no particular, com relação ao idoso não temos essa atuação. A ele compete, também, zelar pela aplicação dos recursos aprovados para os Conselhos, o que, infelizmente, ele também não tem feito”. E acrescenta. “O CMI pede e espera socorro para sobreviver”.

Finalmente, a direção do Conselho sugere uma reunião/audiência com a presença do Prefeito, Secretários de Assistência Social, Finanças e Planejamento e o Colegiado do Órgão.

Foto arquivo

Receita libera nesta quarta consulta a lote da malha fina do IRPF de 2006

15/12/2010 - 08:38 (atualizada em 15/12/2010 08:42)


Dinheiro estará disponível para saque nos bancos a partir do dia 22 de dezembro, com correção de 51,06%; 7.022 contribuintes ficaram devendo e 3.784 têm direito à restituição


A Receita Federal libera da malha fina às 9h desta quarta-feira (15) um lote de declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2006. A maioria tem imposto a pagar. A consulta poderá ser feita na página do órgão na internet ou por meio do ReceitaFone (146).



Do total de 14.621 declarações, 7.022 contribuintes ficaram devendo ao Fisco. Com direito à restituição, há 3.784 pessoas no lote, e não tiveram imposto a pagar nem a restituir 3.815 contribuintes.


O dinheiro estará disponível para saque nos bancos a partir do dia 22 de dezembro, com correção de 51,06%.

A Receita lembra que, caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá ir a qualquer agência do Banco do Brasil (BB) ou ligar para a Central de Atendimento BB – 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (deficientes auditivos) – para agendar o crédito em poupança ou conta-corrente em qualquer banco, desde que em seu nome.

Abril.com

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Plano Municipal de Segurança vai intensificar combate à violência

O prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (foto), que também é presidente do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, presidiu hoje (14), no auditório da FTC, a apresentação da proposta de elaboração do Plano Municipal de Segurança Pública (Pmsp), reunindo conjunto de ações integradas entre governo e a comunidade para a prevenção na área de segurança urbana.

A proposta do Plano é elaborada e coordenada pelo Instituto de Promoção da Segurança Pública Municipal (Prosem), a partir do Diagnóstico da Violência e Criminalidade do Município, já em fase de implementação por uma equipe multidisciplinar de pesquisa coordenada por Santina Gonçalves.

A solenidade contou com a participação do presidente do Prosem, Marcos Vinicius Oliveira Junior; da promotora Renata Dacach Assis; do comandante Regional da Polícia Militar, coronel Ivo Silva Santos; do comandante do 15º BPM, Inácio Lira Júnior; do diretor geral da FTC, Cristiano Lobo; da delegada Graça Valadares, da 6ª Coorpin; o deputado estadual Gilberto Santana, que é coronel da reserva da PM; de Márcio Oliveira Gomes, representando o judiciário, e lideranças comunitárias.

Parceria institucional

O prefeito Azevedo destacou que o Plano é resultado de uma parceria institucional entre o governo municipal; Ministério da Justiça, através do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) e o Instituto Prosem, a partir da criação do Gabinete de Gestão Integrada Municipal.

Ele defendeu a integração de ações entre a Prefeitura, Policia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária, Bombeiros, Ministério Público e Judiciário, lembrando porém, que cada município tem as suas peculiaridades, que devem ser levadas em conta.

No caso de Itabuna, explicou o prefeito, a cidade fica na confluência de duas importantes rodovias – as BRs 101 e 415 – e sofre as conseqüências da crise social provocada pela vassoura-de-bruxa, que deixou 250 mil desempregados no meio rural, atraindo migrantes e gerando a formação de um cinturão de pobreza no entorno do mais importante centro urbano da região.

Azevedo ressaltou ainda a importância da elaboração do diagnóstico da violência, com mapeamento das áreas criticas, mas salientou que o processo exige também a participação da comunidade, “para que possamos combater as causas da violência através de ações e programas integrados, com a participação das lideranças comunitárias e dos órgãos de segurança”.

Outro aspecto destacado por ele, foi a implantação do Bolsa Renda Municipal, que além de viabilizar a transferência de renda, também exige como contrapartida dos beneficiários na participação de cursos voltados para a inclusão no mercado de trabalho formal”.

Diagnóstico

O coordenador Nacional do Prosemi, Marcos Vinícius Oliveira apresentou a metodologia do diagnóstico, que tem como base a pesquisa, através de entrevistas e a coleta de dados estatísticos para que se obtenha a identificação dos problemas do município e indicadores quantitativos e qualitativos sobre a violência.

“No estudo das estatísticas de criminalidade tomamos o cuidado de analisar, detidamente se as variações verificadas não reproduzem apenas o aumento ou diminuição da criminalidade, resultante de uma maior ou menor efetividade no registro de ocorrências. Consideramos, sobretudo, os fatores da localização, em relação ao período do fato apontado pelos dados da criminalidade, o que possibilita o trabalho de geoprocessamento e a elaboração de infográficos”, enfatizou Marcos Vinícius.

O diagnóstico é considerado por ele essencial para a elaboração e implementação do Plano Municipal de Segurança Pública e articulação do Sistema de Segurança Pública Municipal, que envolve os diversos setores da Gestão Municipal e, ainda, a própria população, no planejamento e na execução de ações que resultem na diminuição da violência e da criminalidade, em melhor qualidade de vida e em paz social “o que importa é construir uma cultura de paz e de não violência”.

A apresentação do Plano de Segurança também teve a presença do vice-prefeito Antônio Vieira; dos secretários de Administração, Gilson Nascimento – que apresentou um relato das ações da Secad no período de 2009 e 2010 -; de Assuntos Governamentais e Comunicação Social, Ramiro Aquino; de Agricultura e Meio Ambiente; Antônio Marcelino; de Transporte e Trânsito. Wesley Gonçalves; de Esportes, Alcântara Pellegrini; do chefe de gabinete, Ivan Montenegro e do representante da Câmara Municipal, Ricardo Bacelar.

Por:Kleber Torres - Fotos: Pedro Augusto – 14/12/2010

Cacauicultores estão otimistas com a produção

Numa coletiva exclusiva à imprensa no saguão do Palace Hotel, ontem (14), os dirigentes de entidades representativas do cacau: Águido Muniz (Grupo Pensar Cacau), Adonias de Castro (Cepec/Ceplac), Henrique Almeida (Associação dos Produtores e Biofábrica), Fausto Pinheiro (Câmara do Cacau) e Durval Libânio (Projeto Cabruca) expuseram sobre os novos avanças, linhas de produção e industrialização do cacau na região Sul da Bahia.

Em 2010, com as novas tecnologias em cadeia (Biofábrica, Ceplac e outros segmentos) a produção saiu de 107 mil para 155 mil toneladas, trazendo mais 15 milhões de dólares para a região. “Estamos soerguendo a nossa lavoura” disse o presidente da Biofábrica, Henrique Almeida.

Adiantou também, que devido ao trabalho sério que vem sendo desenvolvido, a previsão de produção para 2011, é de 200 mil arrobas.

Os dirigentes no encontro demonstraram preocupação com a falta da mão de obra futuramente para o campo com os avanços que vem tendo a produção.

Outra conclusão e a de que o ciclo da vassoura de bruxa, que ficou comprovado pela Policia Federal que foi trazido pela mão humana, está diminuindo em toda região.

No encontro, acatando uma sugestão dos comunicadores presentes, os dirigentes ficaram de ver uma data  em Março de 2011, para a realização de um grande Seminário para debater as inovações da lavoura cacaueira.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Confraternização da Emasa no IEC


                                                   Time Sede e Saneamento (camisa listrada) sagrou-se campeão
No Torneio Society “Mais Águas para Todos” disputado no último sábado (11) na sede social do Itabuna Esporte Clube sagrou-se campeão o time do setor de Saneamento.  O torneio que foi muito disputado, trazendo a torcida presente ao delírio, teve como vice-campeão o time do EO (Escritório de Operações).

Em meio a muita alegria, dos times, o diretor-presidente da Emasa, Alfredo Mello, um dos torcedores mais animados aproveitou a oportunidade para cantar os parabéns do diretor financeiro, Juscelino Leal aniversariante do dia.

Uma surpresa para Juscelino que ficou muito emocionado com a iniciativa de todos os seus colegas de trabalho, presente ao evento.  O torneio, como acontece todos os anos faz parte do inicio da confraternização dos dirigentes, funcionários e convidados da Emasa.

Esse ano sendo comemorado em alto estilo, pois a empresa já está implantando e, já, em fase de testes o novo sistema de maior oferta de água tratada, que está passando dos atuais 600 litros, para 900 litros por segundos.

Ou seja, neste Natal e Ano Novo as águas vão rolar mais ainda!

Carlinho Bueiro,entre os juizes,  trenador do time campeão.Será que teve mala branca?


domingo, 12 de dezembro de 2010

FALTA DE RESPEITO !!!

Seria prá dar risadas, não fosse trágico. Mas a informação, na verdade, é mais um deboche do governo petralha da Bahia.

 O secretário da (in)segurança da Bahia, César Nunes, está comemorando - segundo o jornal Correio - a redução dos índices de violência na capital e no interior.  Acontece porém,que de janeiro a novembro de 2009, foram registrados 4.340 homicídios em todo o estado. Em 2010, no mesmo período, ocorreram 4.420 homicídios, segundo estatísticas da própria secretaria de (in)segurança pública da Bahia. Isto sem falar em assaltos, roubos, furtos e estupros, que também aumentaram.

Ou o secretário é um analfabeto funcional, que acha que 4.420 é menor que 4.340, ou então tá de gozação.
E o pior, é que o secretário deu uma entrevista coletiva na sexta-feira passada, e nenhum "jornalista" contestou a "comemoração".

Ao menos o secretário foi honesto ao afirmar que está faltando efetivo à polícia, e que tem delegaciais criadas e não instaladas, justamente por falta de material humano.

Vai ver que a diminuição da violência é na Bahia Virtual, aquela que só existe na TV. E podem crer, os 60% dos baianos que reelegeram Wagner Wagarezza  vão acreditar,,,,