Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Debate revela fragilidades e estratégias, mas só Plínio surfa

Christina Lemos, colunista do R7Texto:
PublicidadeO primeiro debate com os presidenciáveis foi o que se esperava dele: revelador, mas a única surpresa foi mesmo Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, que cumpriu o papel de “desconstruir” os adversários, mas não conseguiu esclarecer como pretende executar seu projeto – que classifica de alternativa ao “bom-mocismo” de seus concorrentes.

Deixe seu comentário no blog da Christina Lemos

José Serra, do PSDB, foi o autor dos ataques mais duros, focados em Dilma Rousseff, e conseguiu surpreender a petista como quando criticou o fim do apoio do governo às APAEs (Associações de Pais e Amigos de Excepcionais). Enfrentou com relativa tranqüilidade as provocações sobre temas como privatizações do governo FHC, e mostrou presença de espírito nas réplicas a Plínio de Arruda Sampaio, no papel de provocador. Preocupou-se em apresentar propostas e mostrar-se como administrador experiente. Demonstrou auto-controle diante de provocações e até se emocionou ao mencionar o pai, em suas considerações finais. Foi fluente e seguro nas exposições e marcou pontos em questões ligadas à Saúde pública.

Meu palpite: O tucano manteve-se no ataque e saiu-se sem grandes arranhões na defesa. Pode até ter conquistado votos, mas principalmente consolidou os que já tinha, sem reverter seus índices de rejeição.

Dilma Rousseff, do PT, foi a mais atacada no debate, por todos os candidatos, sem exceção, e principalmente pelo adversário tucano, José Serra. Estreante, mostrou certa dificuldade com a administração do tempo para as respostas, deixando vários raciocínios sem conclusão, e enfrentou algum embaraço diante de temas-surpresa, como o fim do auxílio governamental às APAEs e dos mutirões à saúde. Lançou mão de números para fundamentar um discurso bastante racional e menos comunicativo e fluente que os dos adversários. Mas esteve atenta a ataques e acusações ao governo Lula, e deu-lhes combate. Manteve o tom moderado e cortês com os adversários. Acertou a mão no confronto entre programas de FHC e de Lula e na comparação entre resultados dos dois governos – seu ponto forte. Mostrou domínio sobre questões de infra-estrutura, mas exagerou na tentativa de contra-ataque a Serra ao enveredar por temas de baixo interesse, como indústria naval. Emocionou-se ao mencionar Lula e sua experiência no governo, mas acabou encerrando de forma protocolar suas considerações finais.

Meu palpite: Dilma sofreu algum prejuízo ao ser obrigada a se manter na defensiva. Optou pela cautela no revide e ficou um tom abaixo do de Serra, demonstrando menos malícia para estas situações. No entanto, manteve a imagem de guardiã do patrimônio do governo Lula e mostrou conhecimento das questões de governo. Não decepcionou os eleitores petistas, não fez feio, mas precisa de cancha.

Marina Silva, do PV, manteve-se na faixa de terceira concorrente, apesar de lançar mão de ataques moderados a Serra e a Dilma, ao questionar logo de início a falta de união dos partidos em torno do interesse público nacional. Marcou pontos ao mostrar que transita de sua plataforma verde para temas como Educação. E tentou mostrar objetividade, ao fixar um patamar de recursos para financiar o setor. Escapou da dicotomia ao rejeitar fazer uma escolha entre a assistência a carentes e a causa ambiental. Mas deixou sem revide à altura as provocações de Plínio, que a chamou de “eco-capitalista” e “petista que não sabe pedir demissão”.

Meu palpite: Marina avançou pouco além de seu eleitorado tradicional. No entanto, consolida imagem pessoal de competência, moderação e nobreza de caráter, ao colocar-se acima de questões partidárias e ideológicas. Seu apoio transforma-se numa espécie de trunfo do segundo turno.

Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, foi o showman da noite. Com nada a perder e tudo a ganhar com a oportunidade do debate, usou-a da maneira mais descompromissada possível: desmontou adversários, reclamou da pouca exposição, fez graça, provocou, e, principalmente, foi o único que falou diretamente com o eleitor, colocando-se como uma espécie de alternativa revolucionária, diante do “bom-mocismo” dos adversários, que, segundo ele, propõem “melhorias aqui e acolá”, mas não uma mudança efetiva. No entanto, não conseguiu dizer como pretende viabilizar esta mudança. Não foi encarado como adversário viável pelos demais concorrentes, que apenas o utilizaram para “fazer escada” para os próprios temas de interesse – caso de Marina, única a lhe dirigir uma pergunta.

Meu palpite: do ponto de vista eleitoral e pessoal, foi o que mais lucrou com o debate. Plínio foi o único que se beneficiou do efeito surpresa da própria figura e da própria performance. E também o único a ousar na comunicação, seja com os concorrentes, seja com o telespectador. Certamente multiplicará votos, principalmente entre os de protesto e o dos jovens. E certamente melhorará os resultados eleitorais do PSOL. Para quem, até aqui, é apenas um nanico entre os concorrentes, foi um golaço.

Para além das considerações e palpites acima, fica claro que ainda falta muito para entender melhor a cabeça e o padrão de comportamento dos candidatos a governar a nação. O caminho será longo.

R7  Notícias

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

ASSEMBLEIA APROVA FIM DA TARIFA TELEFÔNICA


TUDO DEPENDE DE WAGNER

Depois de dois meses sem votação de projetos na Assembleia Legislativa, os deputados se reuniram nesta terça-feira (3) e aprovaram, por unanimidade, durante sessão extraordinária, o segundo turno do projeto que prevê o fim da tarifa de assinatura telefônica no estado. A votação foi resultado de uma negociação do autor da proposta, Álvaro Gomes (PCdoB), com seus colegas, para que comparecessem à votação apenas da matéria, já que a análise da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) está emperrada – previa-se que as duas matérias seriam votadas na mesma oportunidade. Trinta e quatro parlamentares marcaram presença.  A lei, no entanto, precisa agora da sanção do governador Jaques Wagner (PT), que, encontra resistências das empresas de telefonia e questionamentos da Secretaria da Fazenda no Estado, já que há a projeção da perda de arrecadação de R$ 80 milhões com o ICMS. Informações da Tribuna da Bahia.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

GOVERNO FAZ FARRA COM DINHEIRO PÚBLICO


 TRISTE BAHIA

Enquanto a Segurança Pública na Bahia vai de mal a pior, o atual governo faz uma gastança com ONG's e fundações, privilegiando alguns "sortudos".
Apesar de dizer que tudo é legal, todo mundo sabe que muitas vezes nem sempre o legal é "moral".
E a farra com o dinheiro suado dos nossos impostos, é feita sem que ninguém nem mesmo saiba em que está sendo usada.
É o exemplo que vem de cima, de Lulla, que gasta milhões por mês no cartão corporativo, mas que ninguém sabe em que, pois tais gastos são considerados "segurança nacional".
Segundo informações do jornal A Tarde, a atual gestão do Governo do Estado, comandada pelo governador Jaques Wagner (PT), honrou contratos com Ongs e fundações em convênios sem licitação no valor total de ao menos R$ 307 milhões, de 2007 até então. A maior parte dos repasses aconteceu em 2009 – R$ 109 milhões, valor quatro vezes maior que o investido pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) no mesmo ano – R$ 26 milhões. A quantia de R$ 307 milhões contabiliza os contratos com as 70 maiores entidades que firmaram parceria com o Estado no mesmo modelo do Instituto Brasil Preservação Ambiental. O governo do Estado, por meio de nota emitida pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), defende os convênios firmadoseargumentaquetodos passaram por análise jurídica e estão dentro da lei. “Os convênios e contratos firmados entre o Estado e entidades sem fins lucrativos, em regra, são submetidos à análise prévia da PGE, que analisa sua legalidade”, afirma a nota, que recorda que as contas do atual governo foram todas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-BA).

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Profissionais de imprensa e comerciários
terão acesso a Programa Habitacional

Um convênio assinado na tarde da última sexta-feira (30) entre Prefeitura de Itabuna, Caixa Econômica Federal (CEF), e a FM Construtora está assegurando o acesso de jornalistas e radialistas sindicalizados ao Programa de Financiamento Habitacional “Minha Casa, Minha Vida”, desenvolvido pelo Governo Federal. Outros que também terão acesso ao programa são os comerciários.

O ato de assinatura do contrato contou com a presença do prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, e do gerente-geral da CEF, Wilton Mourão Barbosa, além de secretários municipais e representantes das categorias. O convênio prevê a construção do Condomínio Parque das Flores, com 382 apartamentos, numa área de 28 mil m2, localizada no bairro São Roque, próximo às unidades populares do programa que já estão em fase de construção.

O projeto das novas habitações prevê investimento de R$ 38 milhões. Os apartamentos terão dois quartos, sendo uma suíte, sala de estar e jantar, cozinha, banheiro, área de serviço e varanda. Os interessados podem se inscrever a partir desta quinta-feira, dia 5 de agosto, no estande instalado na Praça Adami. O prazo de entrega dos apartamentos é de 15 meses, após o início das obras marcado para o próximo mês de outubro.

Mais dignidade e cidadania

Para Capitão Azevedo a assinatura do contrato foi um momento importante porque, além de viabilizar mais dignidade e cidadania, também possibilitará uma melhor qualidade de vida aos radialistas, jornalistas e comerciários. “Os profissionais de imprensa e os empregados no comércio terão a oportunidade de ter uma moradia descente na cidade de Itabuna. Isto, com certeza, irá influenciar na melhoria da qualidade de vida do cidadão”, disse o prefeito.

Segundo Wilton Mourão, no momento em que a CEF como instituição de crédito responsável pelo financiamento das políticas públicas sociais do País, propõe um convênio desta natureza para beneficiar centenas de famílias de três importantes categorias com moradias dignas, deixa a certeza do dever comprido diante da sociedade.

Prefeito inaugura novo ponto
de atendimento do Sebrae

Aproximar cada vez mais as ações do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) do público empreendedor itabunense. Foi pensando assim que o órgão inaugurou nesta quinta-feira (29) um novo Ponto de Atendimento, instalado nas salas 1 e 2 do edifício Atlanta Center, no centro de Itabuna.

O Ponto de Atendimento dispõe de espaços destinados a treinamento e capacitação para até 30 pessoas por turno, autoatendimento com cinco terminais, sala de gestores e de coordenação. O ato contou com a presença do prefeito Capitão Azevedo; do diretor Administrativo e Financeiro do Sebrae Bahia, Antônio Marcos Lima de Almeida; do coordenador regional do Sebrae, Renato Lisboa; do presidente da Associação Comercial, Eduardo Fontes, do presidente da CDL, Jorge Braga, dirigentes de outras entidades de classe, e de secretários municipais.

O prefeito destacou que o novo espaço do Sebrae é uma clara demonstração do perfil empreendedor do município de Itabuna. Azevedo disse ainda que o Ponto de Atendimento facilitará a assistência aos novos investidores e a organização das pequenas e micro empresas da cidade.

Capitão Azevedo destacou que a administração municipal reconhece a importância da pequena e micro empresa na economia da cidade e busca investir na melhoria da infraestrutura urbana, citando o exemplo da reurbanização da Avenida Cinqüentenário. “A nossa principal via comercial ficou linda, prazerosa e o empresário que pretende investir em Itabuna, ao ver a avenida, ficará motivado porque verá a organização, calçada bonita, nova iluminação, bancos, luminárias, fácil acessibilidade e lixeiras para manter a cidade limpa”.

O prefeito adiantou que nos próximos dias o executivo encaminhará à Câmara Municipal, para apreciação e votação, o projeto de lei da micro empresa. O diretor do Sebrabe, Antonio Marcos Almeida, ressaltou que a decisão do órgão em investir em Itabuna, deve-se ao fato de Itabuna ser uma referência regional.

Segundo ele, os investimentos estão sendo feitos em recursos humanos, com a contratação de profissionais especializados, que estarão à disposição das entidades locais. “Esperamos que essas ações reflitam positivamente no empreendedorismo local o mais rápido possível, porque o Sebrae acredita que a pequena e micro empresa têm que ter um tratamento diferenciado, como prevê a lei que regulamenta o setor”, finalizou.

Texto: Erivaldo Bomfim - Foto: Waldir Gomes – 30/07/2010
Creas elabora plano de ação para
combater violência contra menor

A elaboração de ações para o combate à exploração sexual contra crianças e adolescentes, principalmente no Centro Comercial de Itabuna e áreas adjacências, foi o objetivo de uma reunião do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) com representantes de diversos órgãos públicos do estado e município.

O encontro foi o segundo este mês e teve como resultado a definição de um plano de trabalho que inclui a realização de palestras, panfletagens e blitzen numa ação continuada, com a participação de várias instituições locais.

Entre elas, Ministério Público, Vara da Infância e Juventude, conselhos tutelares, o próprio Creas, Secretaria Municipal de Educação, Caps AD, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, polícias Militar e Rodoviária Federal, além da administração do Centro Comercial.

O coordenador do Creas, Edson Braz Nascimento, explicou que as palestras e as panfletagens têm como meta informar, sensibilizar e mobilizar os feirantes no combate a este tipo de violência.“A partir da conscientização por meio dessa campanha, eles serão os agentes multiplicadores da ação, sobretudo na área de serviço”.

Edson informa ainda que durante a campanha serão distribuídos adesivos para carros, cartazes e, nos motéis, hotéis e pousadas, serão afixados cartazes na portaria, indicando a proibição de hospedagem de criança e adolescente desacompanhados dos pais ou responsáveis sem autorização por escrita deles, ou da autoridade judiciária.

O texto, segundo Edson, é baseado no artigo 250 da Lei Federal 8.069/90 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). De acordo com o estatuto, a pena para quem descumprir a lei é de 10 a 50 salários de referência aplicada pelo juiz. Em caso de reincidência, a autoridade judiciária poderá determinar o fechamento do estabelecimento.

O trabalho de combate à violência sexual contra criança e adolescente é uma ação permanente do Creas e conta com o apoio dos principais órgãos públicos de Itabuna, a exemplo do Ministério Público e Vara da infância. Mas a população também pode participar pelo Disque Denúncia Nacional 100 ou ao Conselho Tutelar pelo telefone 3613-1124. Edson lembra que não é necessária a identificação do denunciante. Basta o relato do fato, com endereço da vitima e se possível do agressor.

Texto: Rosi Barreto – Fotos: Waldyr Gomes – 02/08/2010

Bolsa Renda faz entrega de
certificados de qualificação


O prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, presidiu a solenidade de entrega de certificados para 70 participantes dos cursos de qualificação profissional do programa Bolsa Renda Municipal. O evento foi realizado na Usemi, nesta sexta-feira (30) pela manhã e contou com a participação de secretários municipais, técnicos e integrantes do programa social que atende hoje a 310 famílias carentes.

Além de fazer um balanço das atividades e obras do governo municipal, o prefeito Azevedo destacou que este é o maior programa de inclusão social do seu governo. Declarou ainda que o Bolsa Renda não é um projeto eleitoreiro como a oposição anda dizendo, “mesmo porque, eu sempre tive uma preocupação social e já fazia este trabalho no Detran, quando via os ricos tirando a habilitação e os pobres só olhando, sem ter dinheiro para comprar o laudo. Então, eu tirava dinheiro do meu bolso e mandava o pobre comprar o laudo”.

O prefeito lembrou que a ideia do programa surgiu durante a campanha sucessória, quando na periferia observava o sofrimento do povo carente sem alimentação e sem recursos: “Por isso eu criei o programa, mas diferenciado, com a oferta de cursos profissionalizantes e de inclusão social, o que deu certo. Vou continuar e ninguém vai me impedir de ajudar meu povo carente,” complementou.

Falaram ainda o secretário de Asssistência Social, José Antônio Formigli Rebouças destacando a importância do programa e o chefe da Divisão do Bolsa Renda Municipal, Alisson das Virgens Silva, que fez um balanço do primeiro ano do programa.

Para Wiliam Sérgio Alves, que concluiu o curso de Jardinagem e Paisagismo e reside no acampamento 7 de Setembro, “o curso foi muito bom, porque apreendi uma profissão e a partir de agora, sei como lidar com a terra e com as técnicas de plantio. Isso facilitou a minha vida e vai ajudar até para arrumar emprego, já que estou desempregado há vários anos”.

Alves informou ainda que no curso apreendeu a fazer leiras para o plantio de alface, couve, pimentão, tomate, coentro e vários tipos de hortaliças. “Como já sei cultivar hortaliças, então comecei a fazer leiras e em breve estarei comercializando meus produtos nas feiras livres de Itabuna e tendo alimentação para minha família”.

Maria do Carmo Andrade, que participou do curso de Informática e Digitação, disse que ficou muito feliz em receber o certificado, porque a partir de agora estará inserida com mais facilidade no mercado de trabalho: “Eu e todas as minhas colegas estamos felizes, porque sabemos que o aprendizado de informática hoje é muito importante, é uma grande passo para conseguir um emprego”, argumentou.

Ela salientou que o bolsa renda lhe trouxe grandes oportunidades, sendo que a primeira delas pelo acesso aos benefícios financeiros todos os meses e a segunda, pela oportunidade de ter apreendido e conhecido as técnicas de informática. “Também fiquei sabendo que existem pessoas maravilhosas assim como o prefeito, que está preocupado em atender o bem estar social da população mas carente“, argumentou.

Em paralelo à entrega de cerificados de participação nos diversos cursos oferecidos pelo programa em parceria com a Ceplac, Microlins, Capemi, Duplak e Harmonia Floreal, foi realizada na área externa da Usemi, uma feira de geração de renda, com exposição de produtos dos cursos. No local foram instalados estandes da Ceplac e dos demais parceiros institucionais, além de uma exposição fotográfica.

Texto: Kleber Torres Reportagem: Paulo Leonardo e Oswaldo Bispo Fotos: 30-07-2010

O QUE ELLES DESEJAM


A prova do crime que o PT endossa


“A solidariedade a Cuba, meus companheiros, nesta hora é mais importante que nunca”, declamou o companheiro José Eduardo Cardozo em maio de 2008, durante a reunião do Foro de São Paulo em Montevidéu. Representante do PT na celebração bienal da Irmandade dos Órfãos do Muro de Berlim, o deputado paulista resumiu numa frase a opção infame: quem se solidariza incondicionalmente com uma ditadura se torna avalista de todas as infâmias que comete. Uma delas é punir com singular brutalidade os chamados crimes de consciência, cometidos por quem ousa discordar do pensamento único.
Enquanto os nostálgicos do stalinismo psicótico confraternizavam na capital uruguaia, o ex-pugilista cubano Ariel Sigler Amaya, condenado em 2003 por “vínculos com potências estrangeiras inimigas”, completava numa prisão em Havana um quinto da pena de 25 anos. Enquanto Cardozo afagava os Irmãos Castro, Ariel buscava tratamento médico para a polineuropatia, uma doença degenerativa que afeta progressivamente os nervos periféricos até paralisá-los completamente. O socorro chegou tarde demais. Há quatro meses, quando enfim foi internado numa clínica cubana, estava paraplégico.

Na foto do alto, que o mostra com 39 anos, Ariel pesa 81 quilos e a aparência é saudável. A imagem de Ariel desembarcando em Miami numa cadeira de rodas mostra um homem devastado pela travessia terrível. Pesa 49 quilos e aparenta muito mais que 47 anos. É mais que uma foto. É a prova de um crime. Ariel só escapou da cadeia e da morte graças ao acordo entre o governo espanhol, a Igreja Católica e a ditadura caribenha. O irmão Guido continua no cárcere. Os dois foram comparados por Lula aos bandidos presos em São Paulo.
Está prevista  para 17 de agosto a estreia do programa eleitoral de Dilma Rousseff. Ela não poderá assistir à performance em companhia de José Eduardo Cardozo, um dos coordenadores da campanha, acompanhante para viagens internacionais e porta-voz da candidata: nesse dia, o companheiro estará em Buenos Aires para outro encontro do Foro de São Paulo. Se for coerente, vai repetir a discurseira de Montevideu. Se tiver juízo, vai fazer de conta que não disse o que disse.
O candidato José Serra poderia pedir a um jornalista argentino independente que, depois de mostrar-lhe a foto que lembra sobreviventes de campos de concentração nazistas, pergunte a Cardozo quem merece solidariedade: a ditadura cubana, que colocou em frangalhos a Declaração dos Direitos Humanos,  ou os Ariel Sigler Amaya que continuam presos sem terem cometido crime algum. Feito isso, valerá a pena exibir horário eleitoral da oposição as fotos de Ariel, o vídeo de Montevideu e a declaração de Buenos Aires.
O que o Alto Companheiro disse no Foro de São Paulo é o que a candidata pensa.  A resposta de Cardozo será a  resposta de Dilma. O eleitorado precisa saber como é o tipo de regime que a dupla sonha implantar no Brasil depois do banimento das liberdades democráticas.

IBOPE: O ABC DE UMA PESQUISA MANIPULADA

Para entender uma pesquisa eleitoral não basta olhar o índice geral que é anunciado pelo instituto. Quando este afirma que o candidato A tem X% e candidato B tem Y% não quer dizer nada. Compreender a verdadeira intenção de uma pesquisa é pesquisar todos os elementos que o instituto pesquisou. Só assim é possível saber se a pesquisa é verdadeira ou manipulada. E manipulada não quer dizer falsa ou mentirosa. Quer dizer que o instituto de pesquisa criou cenários favoráveis para um resultado que beneficiasse quem está por trás de tudo.
Tenho dito que as pesquisas eleitorais deixaram de ser uma aferição da preferência do eleitorado para ser um instrumento de marketing do candidato. Coisa que deveria ser proibida, da forma como está, pelo TSE. Ele tem que regulamentar as pesquisas com instrumentos que inibam o seu uso eleitoral. Da forma como é hoje, qualquer institutozinho faz a pesquisa de acordo com o interesse de um candidato. E isso, é um crime, pois acaba se tornando uma propaganda subliminar. A massa de eleitores é sensível a ir com "maria vai com as outras". Tem gente que vota em candidato que, supostamente, está à frente nas pesquisas para "não perder o seu voto". O Ibope sabe disso. O PT sabe disso. Agora, parece que o PSDB não sabe disso. Pelo menos, pela declaração do senador Sérgio Guerra, presidente do PSDB:
- Não vamos brigar com números.

Excelentíssimo senhor senador, tem que brigrar sim. O PSDB tem que ter no seu comitê especialistas em pesquisas analisando e rebatendo pesquisas manipuladas como esta do Ibope e como outras que ficaram sem resposta do PSDB. A cada pesquisa dessas há uma verdadeira avalanche de informações petistas plantadas na mídia e o PSDB não pode simplesmente dizer que "não briga com números". Ele tem que brigar e provar o contrário. Ou faz isso ou vamos assistir as urnas confirmarem as pesquisas manipuladas.
Isso é uma guerra, senador. Uma guerra de marketing e ganha que souber usar melhor os instrumentos disponíveis. E para isso, o PSDB não precisa fazer dossiês ou faltar com a ética. Precisa saber usar a inteligência.
Por exemplo, a idéia da Rede Mobiliza é excelente. Agora, não adianta esse tal de "desafio do dia" com tarefas para alunos. Eu me inscrevi lá e ficam mandando e-mails para mim com tarefas para adolescentes. É brincadeira. Por que a Rede Mobiliza não cadastra as centenas de blogs que estão na rede e fazem um trabalho voluntário pró Serra? Cadastra e linka todos eles no site da Rede Mobiliza. Passa a municiar com informações verdadeiras os seus editores. Envia vídeos, fotos, recados do Serra e inúmeras outras ações que hoje são feitas de forma descoordenadas. Se somarmos a audiência de todos esses blogs teremos um poder de comunicação que nem o Ibope é capaz de auferir.
E por falar em Ibope, vamos analisar a sua última pesquisa porque eu já estou conversando demais. Então vamos lá. Vamos mostrar o ABC da manipulação dessa pesquisa do Ibope registrada no TSE sob o número 20809/2010 com 2506 entrevistas em 174 municípios de todo o País entre os dias 26 e 29 de julho, uma semana depois da pesquisa da DataFolha.
Foram entrevistados eleitores de 25 Estados e mais o Distrito Federal. O Amapá ficou de fora. Não foi explicada a razão.
Antes, é preciso entender quais estratégias que essa pesquisa objetiva. No nosso entendimento, são quatro:
01 - Acabar com o mito de que Serra é imbatível em São Paulo e no Sudeste;
02 - Provocar desentendimentos entre Serra e Aécio; ofuscar a liderança de Aécio no Estado de Minas como puxador de votos para Serra e para o seu candidato a governador;
03 - Eudeusar Lula como Jesus Cristo do Nordeste, como capaz de transferir para Dilma uma votação jamais vista na história desse país, com base na idéia que se faz de que no Nordeste só tem "Zé Mané";
04 - Desestimular o PSDB a continuar a mostrar os podres do PT como ligação com as Farc, dossiês e quebra de sigilo. O que eles chamam de tática do medo.
É possível ler e ouvir comentários que defendem essas estratégias. A mídia está recheida mais do que biscoito de chocolate. A idéia é martelar a cabeça do incauto para tentar conquistar o seu voto.
Observe também que no ínicio da semana que antecedeu a divulgação dessa pesquisa do Ibope, saiu uma outra afirmando que "a influência de Lula nos votos para governador e Senador, era pouca ou nenhuma". Isso já foi preparando terreno para desvincular a pesquisa de Presidente das pesquisas para Governador e Senador. São produtos diferentes. São cheques diferentes. Com isso tentam uma justificativa daquelas que não justificam para Geraldo Alckmin ter 50% das intenções de votos no Estado de São Paulo e Serra não ter apresentado nenhuma evolução e com isso tentar justificar nos demais Estados.
Veja o gráfico abaixo com os dados por região, sendo que Centro-Oeste e Norte estão juntas. Não vamos detalhar agora, pois mais na frente entramos nos detalhes.


Esse gráfico seguinte mostra o percentual dos Estados. São quatro Estados e o Distrito Federal. O Ibope não forneceu os dados dos outros 24. Por que? Aham!


Uma pesquisa de um instituto como o Ibope custa uma verdadeira fortuna. Então, internamente ele tem vários elementos para, se for o caso, uma briga judicial. Embora, sejam argumentos frágeis, mas ele tem. Eles se tornam frágeis depois que um "cri-cri" como eu pesquisa as 174 cidades e mais o DF que o Ibope supostamente visitou. Divulgar que é bom mesmo, eles não divulgam. Por que a do DataFolha foi a mais aberta? Porque é a mais consistente.
O Ibope montou o seu cenário para favorecer a candidata do PT. Pelos dados apresentados a seguir, você vai comprovar o ABC da manipulação dessa pesquisa do Ibope. Não estou afirmando que ela seja falsa. Pode até ser. Estou afirmando com todas as letras que ela foi MANIPULADA em favor da candidata do PT. O cenário que o Ibope montou é o mesmo de uma pesquisa realizada no Maracanã, junto a torcida do Flamengo, e o entrevistador pergunta ao torcedor por qual time ele torce. Guardadas as devidas proporções o cenário da pesquisa do Ibope para presidente foi o mesmo.
Nos mapas apresentados a seguir, nos pesquisamos a qual partido político pertencem as cidades de cada região visitadas pelo Ibope. Apresentamos as prefeturas comandadas pelo PSDB e partidos coligados, e as comandadas pelo PT e partidos coligados. Vamos então aos mapas por região. 


Veja agora o da Região Norte. O Estado no Amapá ficou fora da pesquisa. Não foi divulgado o porque.


O eleitorado vai aumentando e as manipulações também. Observe este cenário da Região Nordeste criado pelo Ibope para favorecer a candidata de Jesus.
Com 196 cidades comandadas pelo PSDB, foram visitdas apenas 8 e 4 de partidos coligados. Contra 6 do PT e 27 de partidos coligados a ele.


E não pára por aí. Na Região Sudeste, para quebrar a espinha dorsal da vantagem de Serra, o cenário foi mais gritante. De 383 cidades comandadas pelo PSDB foram visitadas apenas 14 e 6 de partidos coligados. Contra 21 do PT e 33 de partidos coligados.


E para fechar esse belíssimo cenário criado pelo Ibope, a Região Sul não ficou por menos. Com 94 prefeituras comandadas pelo PSDB, apenas 2 cidades foram visitadas e nenhuma de partido coligado. Foram visitadas 5 do PT e 21 de partidos coligados.



A seguir, a conclusão desse cenário fantástico que o Ibope criou para manipular a pesquisa em favor da candidata do PT.


A partir desse cenário totalmente favorável à candidata do PT, passamos para a segunda fase para detectar onde os números foram alterados em quadros comparativos à pesquisa do DataFolha. Inicialmente, por regiões. Lembrando que a Região Norte está somando com a Região Centro-Oeste.
Aqui eles foram bonzinhos e tiraram uns votinhos da Dilma (193.438), talvez com dor de consciência da lambança feita nas demais regiões.


Na Região Nordeste a coisa foi feia. Em uma semana a Dilma teve um aumento de 100%. Foram mais de 4 milhões de votos que ela ganhou em uma semana. Essa mulher é o maior fenômeno eleitoral de todas as galáxias dos mais longínquos pontos do Universo. E o fato se torna mais grandioso, a partir da constatação de que ela nunca, até este momento, teve um único voto na vida.
É chamar todos nós de "Zé Mané", ó meu!


E segue o Ibope divagando no seu majestoso cenário criado para a candidata do PT. Na Região Sudeste, eles tentaram dar no Serra um sôco daqueles que o Maguila levou, acho que foi contra o Tyson. O Ibope sumiu, escafedeu, com mais de 4 milhões de votos do Serra e não satisfeitos deram ao fenômeno eleitoral - Dilma - mais de um milhão de votos. Nem David Corpperfield é capaz de tamanho feito. Isto ocorreu num espaço de uma semana. Nesse ritmo, até o dia 3 de outubro eles raspam o restinho que deixaram. Veja o mapa com os detalhes:


Na Região Sul, a consciência voltou a doer e eles tiraram 200 mil votinhos da Dilma, o fenômeno, e deram ao Serra. Como quem diz:
- E não reclama não, pô!


Na seqüência, apresentamos detalhes comparativos entre a pesquisa DataFolha x Ibope, de quatro Estados e mais o Distrito Federal. Infelizmente, o instituto não divulgou os dados de outros Estados. Faz parte do jogo para dificultar o entendimento do cenário criado. Quanto menos informações, mais dificil de ler nas entrelinhas. O jogo é feito pela turma do PT na mídia reforçando aquelas estrátégias que comentamos no ínicio do post.
Seguem os detalhes do Estado de São Paulo. Foi mantido o índice de 44% de Serra, mas o fenômeno ganhou mais de 900 mil votos.


No Estado de Minas, Dilma, o fenômeno, voltou a surpreender e conquistou quase dois milhões de votos dos mineiros comandados pelo seu maior líder dos tempos da redemocratização Aécio Neves. Essa mulher é fantástica. Fez tudo isso em apenas uma semana. Extraordinário. Veja:


Os cariocas e fluminenses não sabem. Mas em uma semana Dilma, o fenômeno conquistou mais de um milhão de votos seus e aumentou para mais de 2 milhões a diferença para Serra. Detalhe: em uma semana.


Em Pernambuco, terra de Jesus, o fenômeno também não deixou por menos. Numa perfomance extaordinária embolsou mais 2 milhões de votos.


No Distrito Federal, nem sei porque divulgaram, mas é aquela história do trôco. O garçom vem com a conta e o freguês fala:
- Conta? Eu estou esperando o meu trôco.



É isso. É desta forma que se manipula uma pesquisa. É fácil. Só precisa de um cenário bem feito para qualquer justificativa. Bons matemáticos e muita imaginação.
Espero que cada um de vocês visitantes do blog ajude a divulgar essas informações para que a verdade seja restabelecida.
Estão tentando enfiar goela abaixo uma candidata que não tem nem de longe o mesmo curriculo do seu oponente, José Serra.
Nesse jogo, para eles, vale tudo. Até o presidente da república que, constitucionalmente, é o guardião das leis, para promover a sua candidata, despreza-as e ridiculariza o poder judiciário. Um fato tão lamentável que temos dificuldade de explicar aos nossos filhos o péssimo exemplo que ele dá.
Se você me pergunta se eu voto em Serra, eu respondo que voto no Brasil que no momento atende pelo nome de José Serra. Ele eleito e deixando de cumprir os seus compromissos, terá em mim o mesmo adversário ferrenho. Vamos construir um país que os nossos filhos e netos possam se orgulhar. Podemos fazer isso com o nosso voto. Chega de balela, chega de discurso furado. Para encerrar, pergunto:
- Qual a grande obra do governo Lula em oito anos?
Quem souber a resposta post, por favor.


By: Blog Coturno Noturno/Blog do Lucio Neto