Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Adeildo Marques reeleito presidente do Clube do Poeta Sul da Bahia

Adeildo Marques (foto) foi reeleito para o biênio 2010/2012,  presidente do Clube do Poeta Sul da Bahia. A eleição aconteceu durante todo dia de ontem (12), no Centro de Cultura Adonias Filho, quando 34 sócios da entidade disseram sim a chapa "Poseia Centenária", que tem como vice-presidente o poeta Divaldo Melo.

Entre as principais propostas de Adeildo Marques estão: Elevar o Clube a Categoria de Utilidade Pública Estadul; Construção da Sede, Desenvolver Trabalho em Defesa da Preservação dos Rios que formam a Bacia Hidrográfica do Cachoeira e apresentação de poesia na praça e locais públicos, assim, como, aumentar maior raio de ação nas escolas, divulgando a nossa literatura.

A posse será realizada dentro dos próximos dias, com um convite extensivo ao professor Jorge Portugual apresentador do programa "Aprovado" da Rede Bahia.

GOVERNADOR PAULO SOUTO HOJE EM ITABUNA

Esteve hoje em Itabuna o candidato a Governador da Bahia pelo DEM, Paulo Souto, acompanhado de "pesos pesados" da política baiana, como Nilo Coelho, Antonio Imbassahy, José Carlos Aleluia, Fábio Souto, Sandro Regis, Heraldo Rocha e José Ronaldo, ex-prefeito de Feira de Santana.


O motivo oficial foi a comemoração do primeiro aniversário do programabb radiofônico,  "Boa Tarde Mulher". A recepção aconteceu  na USEMI, pela Presidente do Diretório Local do DEMOCRATA, Maria Alice.


Paulo Souto, que já foi governador por duas vezes, do Estado, tenta se eleger pela terceira, e com grandes chances de sucesso, principalmente devido ao péssimo governo que realiza Jaques Wagner. Em Itabuna, como sempre ele e comitiva foi recebido com muita festa.



quinta-feira, 11 de março de 2010

Novos ônibus para a frota coletiva de Itabuna

Itabuna tem hoje a frota de ônibus mais nova do estado. A informação é do prefeito Capitão Azevedo que, ao lado do secretário de Transporte e Trânsito, Wesley Melo, e do presidente da empresa São Miguel, José Duarte Carvalho, entregou à comunidade, na manhã de quinta-feira (11), dez novos veículos para a modernização da frota. A ação está dentro da proposta de melhoria do serviço de transporte público em Itabuna, um compromisso do governo.

O prefeito lembrou ter sido a segunda vez em pouco mais de um ano que a gestão municipal, em parceria com as duas empresas que operam o sistema do transporte em Itabuna, promove a renovação da frota. No ano passado, foram adquiridos 25 ônibus novos pela empresa Rio Cachoeira.

“A nossa meta é substituir todos os veículos com mais de dez anos de uso, assegurando com isso mais conforto, comodidade e segurança para a população”, explica o secretário de Transportes. Wesley Melo salientou que sua secretaria encomendou estudo técnico do sistema de transporte da cidade, visando à melhoria do serviço. “Nossa proposta é modernizar o sistema, sem que para isso haja aumento de tarifa”, enfatizou.

O diretor da São Miguel, José Duarte, informou que 20% dos ônibus de sua empresa são novos e a meta é chegar a 100%. Ele também garantiu que, dentro de dois anos, todos os ônibus da empresa estarão adaptados para o acesso de pessoas com capacidade de locomoção reduzida.

Os novos ônibus entregues à população itabunense trazem duas novidades: uma cadeira exclusiva para obesos e um moderno sistema de ventilação. Cada unidade custou à empresa R$270 mil, segundo o diretor.



 Texto: Rosi Barreto – Fotos: Waldir Gomes

Editorial da Folha de São Paulo critica duramente posição de Lula frente à Cuba

Passou do limite

NÃO PARECE demais, em nome do registro histórico, reproduzir mais uma vez as palavras do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista à Associated Press: "Temos de respeitar a determinação da Justiça e do governo cubanos de deter as pessoas em função da legislação de Cuba. A greve de fome não pode ser utilizada como pretexto de direitos humanos para liberar as pessoas. Imagine se todos os bandidos presos em São Paulo entrarem em greve de fome e pedirem liberdade".
A declaração é escandalosa -mesmo para os padrões de Lula, que habituou os brasileiros a seus disparates. Lembre-se, por exemplo, quando disse, ainda em 2003: "Quem chega a Windhoek [capital da Namíbia], não parece que está num país africano. Poucas cidades do mundo são tão limpas e bonitas arquitetonicamente quanto esta".
Desta vez, porém, a manifestação não se reveste de nenhuma graça, tosca que seja. E não pode ser atribuída a mais um entre tantos deslizes de quem abusa dos improvisos, não esconde o orgulho por falar errado e se diverte com as gafes que comete. Não. Lula, este personagem satisfeito com as suas próprias precariedades, desta vez passou dos limites na agressão aos valores democráticos.
Vejamos mais de perto a escalada de impropriedades: Lula endossa uma ditadura que reprime a divergência de opinião. Prega "respeito" pela legislação cubana, que autoriza a prisão de pessoas cujo crime é dar sinais de "conduta manifestamente em contradição com as normas da moralidade socialista".
A seguir, avança outra casa ao qualificar os direitos humanos de "pretexto" dos presos políticos que fazem greve de fome. Pretexto? Em 2003, o governo cubano fuzilou três dissidentes que tentaram fugir do país. Outros 75 opositores foram presos, entre os quais Orlando Zapata. Condenado inicialmente a três, ele teve sua pena ampliada para mais de 25 anos de prisão. Morreu após uma greve de fome, no dia em que Lula chegou à ilha, semanas atrás, para visitar Fidel Castro pela quarta vez.
Surpreendido por jornalistas, primeiro alegou desconhecer o apelo que entidades defensoras dos direitos humanos haviam feito para que intercedesse por Zapata. Limitou-se, a seguir, a lamentar que "um preso se deixe morrer por greve de fome".
Como disse ontem à Folha o jornalista e dissidente cubano Guillermo Fariñas, também em greve de fome: "Lula demonstra seu comprometimento com a ditadura dos Castro e seu desprezo com os presos políticos".
Nada supera, porém, o escárnio da conclusão presidencial: os presos políticos da ditadura cubana são equiparáveis aos presos comuns de um país democrático, no caso o Brasil. "Imagine se todos os bandidos presos em São Paulo entrarem em greve de fome e pedirem liberdade."
Imaginemos, nós, com mais razão, que tal aberração a serviço da defesa de um regime homicida não seja apenas um tropeço, mas, antes, a revelação do real apreço de Lula pela democracia.


E AGORA, LULA ?
O Deputado Federal Raul Jungmann, ( foto) do PPS de Pernambuco, é um dos poucos parlamentares que honram o Congresso. Ele usou o mandato que o povo lhe outorgou, para entregar na Presidência da República, carta dos dissidentes cubanos, pedindo ajuda para salvar a vida de um preso político cubano, Guillermo Fariñas (foto), que está há dias em greve de fome.
Lula, cinicamente, vinha dizendo que não sabia de nada, não tinha recebido nada, e ainda comparou os presos de consciência de Cuba, aos bandidos que estão nas prisões brasileiras. Um desrespeito.

Lula ainda condenou as greves de fome, apesar dele mesmo ter feito uma. Elle foi preso em abril de 1980. Não havia mais tortura contra presos políticos nesse período, e o Brasil já tinha aprovado, no ano anterior, a Lei da Anistia.
Aliás, esse episódio da “greve de fome” de Lula, mostra bem quem é a "peça".
Ele próprio confessou que quando foi preso, escondeu balas debaixo do travesseiro. Na verdade ele trapaceou. Enquanto os crédulos pensavam que ele passava fome e se condoia do seu “martírio”, ele se alimentava de guloseimas.
E por conta dessas férias, ele recebe hoje,todos os meses, algo em torno de 6 mil reais, fora a "indenização" que embolsou como ex-preso político.
Nenhum trabalhor brasileiro, que deu duro 35 anos, recebe isso do INSS.
Felizmente só faltam 295 dias para nos livrarmos "delle".



quarta-feira, 10 de março de 2010


Descoberta nova arma contra a dengue

É um comprimido, dissolvido em água. A nova arma vai combater as larvas do mosquito da dengue. O bioinseticida, totalmente nacional, já está sendo produzido por cientistas.

A roupa especial é obrigatória para entrar no laboratório onde pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz lidam com uma nova descoberta: bactérias com o poder de combater a dengue. Elas têm o apelido de BTI, mas o nome completo é Bacillus thuringiensis israelensis. São bactérias encontradas na terra. Dentro do laboratório, são usadas como matéria-prima para a produção de um inseticida biológico.

O bioinseticida desenvolvido aqui fica assim: são comprimidos para serem colocados dentro das caixas d’água. Duas horas depois de ingerir o inseticida, as larvas sofrem uma paralisia e deixam de se alimentar. Após 24 horas, elas morrem. A arma letal para a larva do mosquito Aedes aegypti, segundo os pesquisadores, é inofensiva para o meio ambiente.

Foram dois anos e meio de testes e pesquisas para chegar a um produto que os cientistas acreditam ser extremamente eficiente no combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti.

Um comprimido para 50 litros de água. Além das caixas d’água, a mistura também pode ser usada para regar as plantas.  “Tem a persistência de 24 dias no ambiente”, diz a pesquisadora da Fiocruz Elizabeth Gomes Sanches.
Malaria

Nos laboratórios da Fiocruz, a mesma equipe também desenvolveu bioinseticidas contra os vetores da malária e da filariose, conhecida como elefantíase.

Eliminar os criadouros do mosquito da dengue é a melhor forma de prevenção. O número de registros da doença no Brasil este ano já é o dobro, em relação ao mesmo período do ano passado.

Só em janeiro e meados de fevereiro de 2010, foram 108.640 casos. A tecnologia desenvolvida pela Fiocruz já foi patenteada. Falta agora definir que empresa vai produzir o bioinseticida brasileiro. Ele será usado no programa de combate à dengue do Ministério da Saúde.

Hoje, os agentes de saúde só trabalham com bioinseticidas importados. Mas em breve, eles poderão estar nas ruas munidos de uma arma 100% nacional.

Fonte - Portalms.com.br