Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

sábado, 6 de novembro de 2010

NÓS AVISAMOS


Contam uma história, que um certo cidadão morreu e foi a julgamento na entrada da Eternidade. Lá chegando, disseram-lhe que tinha passagem garantida para o Paraiso, mas que lhe seria permitido visitar o inferno antes de se decidir onde queria ficar definitivamente.
O cidadão passeou pelo céu, e achou tudo uma tremenda tranqüilidade. Lindo, maravilhoso.
Foi então visitar o inferno. Lá, encontrou uma turma de antigos amigos, tomando umas lourinhas geladas, e bem acompanhados de louras e morenas quentes. Passou o dia na maior esbórnia.
Voltou a entrada na Eternidade e declarou que achou o céu uma beleza, mas que o Inferno era mais agitado, a maioria dos seus amigos estavam por lá e que o Paraíso, apesar de lindo, era muito tranqüilo para seu gosto.
Um anjo lhe explicou que tudo aquilo que ele viu no Inferno, era pura enganação, mas o cidadão não acreditou e decidiu ir viver no Inferno.
Chegando lá, avisou que estava indo em definitivo. Assinou o livro de moradores e as portas do inferno se abriram para ele.
Que decepção. O anjo tinha razão. O Inferno era feio, sujo, as doenças grassavam, todos estavam vivendo miseralvemente.
Ele reclamou, disse que tinha passado um dia maravilhoso em um lugar lindo, sendo bem servido, comendo e bebendo do bom e do melhor.
Um capetinha deu uma risada e declarou: “Ora, seu trouxa, quem quer pegar passarinho, não diz xô”....
Nas democracias, a maioria resolve o que é bom – ou ruim – para todos. Inclusive na democracia “meia-boca” brasileira.
Aquí no Brasil, a maioria que votou ( porque 30 milhões fugiu da responsabilidade de decidir), resolveu continuar com esse governozinho enganador petralha.
Durante a campanha, foi prometido o céu na terra. A terrorista eleita presidente, se disse uma “Teresa-de-Calcutá”; uma “irmã-Dulce”; uma “mãezona”. Passada a campanha, vem aí o saco de maldades que começou a ser aberto por seu criador, o Lulla, conforme os jornais.
Ela, na verdade, nunca mentiu: disse que seria a continuação do atual governo.
Continuação dos escândalos e corrupção que espoucaram nos últimos 8 anos( mensalão, dinheiro na cueca, Zé Dirceu, Erenice, Oi, Cartões corporativos e etc)? Das mentiras “pacquianas”( como o Pac do Cacau)? Das apropriações de idéias alheias (como o bolsa família)? Do aumento dos impostos ( como a tentativa agora de recriação da CPMF)? Das promessas não cumpridas ( Ihh, aí a lista é interminável)?
Como pergunta o poeta: E gora José? 
Agora, a festa acabou e caímos na dura e crua realidade pós campanha.


Nenhum comentário: