Vamos salvar o Rio Cachoeira! É o nosso maior patrimônio. Não jogue lixo em seu leito. Povo limpo, cidade civilizada... Vamos preservar a nossa história.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

História:

GONZALEZ PEREIRA DE ANDRADE UMA GRANDE HISTÓRIA DA COMUNICAÇÃO




Gonzalez Pereira de Andrade nasceu em Buerarema-Ba, em 22 de Novembro de1947. Filho de Josefa Lins de Andrade e Patrício Pereira de Andrade. Seus avós eram sergipanos, com descendência de índios, negros, espanhóis e holandeses.

Casado desde 1968 com a Professora Terezinha Freitas de Andrade, que nasceu em Uruçuca, tem dois filhos: Marcus Vinicius, que nasceu em Ilhéus e Pablo Gonzalez, que nasceu em Salvador. Tem uma neta, Thais, e dois netos: Lucas e Brendon.

Ingresso na comunicação

Gonzalez se interessou pela radiodifusão em 1960, graças ao Programa Titio Brandão, quando participou de um concurso de estudantes, patrocinada pelo Banco da Lavoura de Minas Gerais. Ele ganhou o primeiro prêmio: um cofrinho, e uma caderneta de poupança.

A vivência com o rádio o levou a participar dos calouros do programa de Titio Brandão, como cantor de rock. Com apenas 12 anos de idade, e já mostrando o pendor para a comunicação, o jornalista Cristovão Colombo Crispim de Carvalho o chamou para trabalhar no Departamento de Jornalismo.

“Depois participou como apresentador de programa infantil e fez parte do “cast” de rádio-teatro da emissora, chamado “Teatro dos Novos”.

Em São Paulo

Um ano depois, já com 14 anos, resolveu tentar a vida em São Paulo. Com dois ternos de linho branco confeccionados pelo já falecido ex-vereador Tio Eliude, pegou um avião da Nacional Linhas Aéreas e foi parar na capital paulista.

Em São Paulo, bateu na porta das grandes emissoras e depois nas pequenas, sendo acolhido pela Rádio Marconi e depois pela dois de Julho. Também foi foca do jornal “Notícias Populares”.

Como o salário era pequeno, foi trabalhar na Semp Rádio e Televisão, primeiro como “Office-boy” e depois como redator, para poder pagar seus estudos.

Estudos

Falando em estudos, Gonzalez se lembra que sua primeira professora, foi Diva Rebouças dos Anjos, e a escola ficava na Rua Rui Barbosa, onde era a Sociedade Montepio dos Artistas. Depois estudou no Colégio Estadual de Itabuna (onde participou da banda do colégio). Em São Paulo, estudou no Colégio Paulistano (que ficava na Liberdade) e na Escola Técnica de Comércio Orozimbo Maia, no bairro da Mooca).

Passou no vestibular de Filosofia da Uesc, mas não concluiu o curso. Fez ainda o curso básico de Teologia no ICP – Instituto Cristão de Pesquisas e vários pequenos cursos.

Na Capital do Estado e Ilhéus

Gonzalez mudou para Salvador para trabalhar nos Diários Associados, tanto na TV como na Rádio. Depois foi para a Rádio Cultura, passando ainda pela rádio Bahia. Em Ilhéus, trabalhou na Rádio Cultura e na Rádio Bahiana e foi também cronista do jornal Diário da Tarde.

Retorno a Itabuna

Em Itabuna trabalhou na Rádio Difusora Sul da Bahia, Rádio Jornal e foi Diretor da Rádio Clube, (hoje Nacional), quando, pela primeira vez, colocou uma emissora de rádio de Itabuna para funcionar 24 horas. Ainda em Itabuna, trabalhou na TV Cabrália, na produção de jornalismo e depois passou oito (oito) anos na TV Santa Cruz como Editor de Texto.

Gonzalez foi repórter e editor do Jornal Agora, de Itabuna; trabalhou ainda no Diário de Itabuna como redator-substituto e lançou dois jornais em Itabuna: Itabuna News, em companhia de Fernando Gonçalves, e com o incentivo do ex-deputado Henrique Cardoso, lançou o jornal “O Estado de Santa Cruz”.

Ação nos sindicatos

Gonzalez foi delegado do Sindicado dos Radialistas da Bahia, em Itabuna, foi ainda delegado local do Sindicato dos Jornalistas da Bahia - Sinjorba -, foi vice-presidente do Sindicato dos Servidores do Município de Itabuna e Presidente do extinto Sindicato dos Jornalistas do Sul da Bahia – Sinjorsulba.

Assessoria de imprensa

Gonzalez foi o primeiro assessor de imprensa da Prefeitura Municipal de Itabuna, no governo de Fernando Cordier; o primeiro assessor de imprensa, da Câmara de Vereadores de Itabuna, na gestão do então vereador Prof. Everaldo Cardoso, e o primeiro assessor de imprensa do Grupo de Ação Comunitária e do Sindicato Rural de Itabuna e foi assessor de imprensa da Prefeitura de Buerarema na segunda gestão do Prefeito Orlando Filho.

Cultura

Gonzalez participou de grupos teatrais amadores em Itabuna e foi Diretor do Teatrinho ABC, que ficava na Praça Camacan, que foi demolido pelo então Prefeito Fernando Gomes.

Concurso Ceplac

Gonzalez passou no primeiro concurso realizado pela Ceplac em Itabuna, indo trabalhar como datilógrafo na Escola Média de Agricultura da Região Cacaueira – Emarc, de onde pediu demissão para ir para o Banco Bradesco, onde foi subgerente de Mercado de Capitais, igual cargo que exerceu no Banco Crefisul de Investimento, em Salvador.

Participação política

Na política, tentou ser vereador em Itabuna em 1988, quando, segundo ele, “conseguíu mais inimigos do que votos”. Em Buerarema ele confessa “morrendo de dar risadas” que conseguiu ser o “menos votado” para vereador, numa campanha onde era apenas “candidato nominal”, uma vez que passava os dias trabalhando como redator de texto de um candidato a prefeito de Itabuna.

Gonzalez hoje

Atualmente aposentado, com “o boi na sombra” como ele costuma dizer, Gonzalez passou no concurso da Emasa em 2008 e presta seus serviços a empresa, com muito vigor físico, graças a Deus. Hoje ele está fora da mídia por opção própria e se diz decepcionado com a imprensa local, negando-se - segundo suas palavras - a trabalhar como "jornalista de aluguel”. Seu sonho hoje é fazer o curso superior de Teologia.